Arquivos de sites

À Mesa da Ganância

Antigo Primeiro Ministro diz que o Banco Central Europeu ajudou a alimentar a crise. Testes de stress à banca ainda não começaram e já são alvo de críticas. Juiz americano suspende a condenação da Chevron por danos ao ambiente no Equador. Exploração petrolífera da Shell ameaça uma das maiores maravilhas do mundo. Estaremos a perder vista às verdadeiras causas das mortes em massa de animais? Milhões de sardinhas aparecem mortas na Califórnia.

Hoje havia muito por onde pegar para escrever. Podia pegar na situação de Portugal, na inflação, na “guerra” na Líbia, etc., mas acho que por vezes é mais importante afastar-nos dos temas que estão na “moda” e abordar vários temas aparentemente dispersos e tentar criar uma imagem mais fidedigna da podridão que por este mundo caminha…

Abro as hostes com a afirmação de John Bruton, antigo Primeiro Ministro irlandês de 1994 a 1997, que disse esta coisa digna de figurar nos anais das verdades mais inconvenientes:

(…)acusou os bancos franceses, ingleses, alemães e belgas de “empréstimos irresponsáveis… escudados na esperança que também eles pudessem lucrar com a bolha imobiliária irlandesa.” O Sr. Bruton afirmou num discurso na Escola de Economia de Londres que aos bancos “estava disponível muita informação referente ao crescimento em espiral dos preços das habitações na Irlanda.”
Foram supervisionados pelos seus bancos centrais e pelo Banco Central Europeu que “aparentemente não levantaram objecções a esses empréstimos.”
In CNBC

O almoço foi servido e todos se banquetearam como se não houvesse amanhã. O problema é que há sempre um amanhã e que quando chega, chega servido de realidade… realidade que expôs as ânsias de ganância da banca irlandesa, os olhos fechados do Banco Central irlandês, a corrida desenfreada dos bancos europeus a uma fatia do lucro da ilusão e um Banco Central Europeu que foi gradualmente baixando as taxas de juro para impulsionar de forma (in)directa esse banquete dos insanos.
Todos juntos, todos culpados, mas todos inocentes menos aqueles que deviam ter os árbitros à perna desde o início desta história, os bancos irlandeses, e principalmente o Zé Povinho irlandês que foi atraído para uma bem montada armadilha pelas acções do Banco Central Europeu.
Agora o Zé Povinho irlandês está a pagar pelos devaneios insanos dos seus casineiros e a pagar do seu bolso aos bancos franceses, alemães, ingleses e belgas que se banquetearam com a formação da desgraça e se continuam a banquetear da desgraça consumada, tudo isto com o apoio tácito do Banco Central Europeu e da comunidade bananeira da União Europeia.
Esta é a história da Irlanda, mas também é a da Grécia, a de Portugal, a de Espanha, a de todos os países em que os casineiros dos outros jogaram as cartas da desgraça.

E agora entro numa notícia que já devia estar a fazer parangona por todo o lado, tal a dimensão do dano que poderá causar aos países periféricos, à Europa… ao mundo:

Os critérios que servirão de base aos novos ‘stress tests’ à banca europeia deverão ser anunciados na próxima semana. No entanto, alguns dos pontos já conhecidos suscitam críticas no mercado. O responsável pelo principal instituto alemão de estudos económicos afirmou, este fim-de-semana, que os novos testes são demasiado negligentes e que não são melhores do que os realizados no ano passado, os quais foram amplamente criticados.
In Diário Económico

Portanto, vem aí mais areia para os olhos dos mercados e dos Zé Povinhos. Sabem uma coisa, ser enganado uma vez, acontece, duas vezes, é estupidez. Acham que os mercados irão cair na esparrela de serem novamente enganados por testes que aparentemente voltarão a ser teatros e encenações de princípios desvirtuados?
Não contem com isso!
Uma vez mais os casineiros deste mundo, talvez com um fundo por baixo da mesa, têm o apoio tácito da classe bananeira da Europa de modo a voltarem a conseguir esconder as suas verdades incómodas dos olhos dos mercados e dos dos Zé Povinhos.
Se a Grécia está mal, a Irlanda pouco melhor está, se Portugal para lá caminha, a Espanha agarrada está a um balão de oxigénio… como acham que irão ficar depois dos mercados voltarem a castigar as encenações de intenções destas classes de actores mentirosos, ou ilusionistas da verdade?

Seguindo…
Pois é, o dinheiro… essa coisa que compra tudo menos a alma do Homem moderno, talvez seja a razão principal deste juízo jurídico nos Estados Unidos:

Um juiz americano estendeu temporariamente a proibição à colecta da multa de 1,39 mil milhões de dólares devidos pela Chevron por danos, afirmando que o gigante petrolífero americano irá sofrer um dano irreparável se tiver de pagar a indemnização – ordenada por um tribunal equatoriano – por poluição em áreas da floresta tropical amazónica.
O Juiz Lewis Kaplan afirmou que existiam evidências que os advogados dos 30 mil queixosos equatorianos iam sem demora avançar para apreensão dos seus bens um pouco por todo o globo, incluindo em áreas em que a Chevron não conseguiria apresentar recurso no imediato. Afirmou que a sua decisão se justificava porque sem ela a Chevron poderia ver-se em risco de incumprir com “encomendas estratégicas”.
Mas Karen Hinton, a porta-voz dos equatorianos, disse que a incapacidade revelada pelo juiz Kaplan de levar em conta evidências chave, ou a marcação de uma audiência para se inteirar de mais factos, fora um “atropelo do processo” e “um inapropriado exercício do poder judicial.”
In The Independent

Esta é a vida vivida neste mundo corrompido por uma falsa imagem de justiça, por uma falsa imagem de democracia, por uma ilusão de igualdade. Esta demo-cracia vive a soldo… a soldo daqueles que têm a mais e que fazem o que mais lhes dá “na real-gana”.
Esta é a face desta demo-cracia ocidental que o ocidente tenta exportar, por vezes à força, para outras partes do globo. Meus senhores, isto não é nem democracia nem justiça, isto é dinheirocracia e justiçocracia, onde os que podem, safam-se, e os que não têm meios, pagam…

Talvez a notícia que expus acima também seja um sinal de um mundo que já não consegue defender o seu mundo natural sob pena de entrar em colapso total por falta do sangue que lhe faz bater o coração, o petróleo.
E, por sinal, hoje saiu uma notícia que poderá ser uma imagem mais fidedigna daquilo que acabei de escrever… e, antes de mais, gostava de salientar o “desprezo” informativo dos meios de comunicação em Portugal perante uma notícia que, digo eu, é significativamente importante:

A petrolífera Shell está debaixo de intensas criticas por planear uma exploração de petróleo e gás que poderá colocar em causa o recife de coral na costa da Austrália que está entre os ecossistemas marinhos mais importantes no planeta.
In The Independent

Esta notícia também devia ter referido o facto de a Shell só estar a planear isso porque os bananas australianos lhe deram autorização para tal. Mas, “prontos”, saltemos esse “pequeno” detalhe e avancemos direitos às palavras incómodas…
Existem Homens que tudo podem fazer neste e deste planeta, às custas de tudo o resto que vive nele. Talvez seja porque o sangue do mundo está a rarear, talvez… talvez seja apenas ganância, talvez… talvez seja apenas mais uma entre tantas vergonhas escondidas para impulsionar os lucros de uns quantos accionistas que se julgam maioritários em relação a este mundo. Mas o mundo não é dos accionistas privados dos grandes aglomerados económicos. O mundo é pertença de todos e principalmente parte dos outros seres vivos que não têm voz.
Irá este mundo ficar a olhar para mais uma destruição que mais tarde ou mais cedo irá, como quase tudo o mais, ser ligada ao aquecimento global como forma de retirar o peso da culpa destes grandes aglomerados económicos?

E quase como que a pedido, como forma de justificar as minhas últimas palavras, saiu uma notícia que devia dizer muito a este mundo… mas não, pelo menos em Portugal passou incógnita… talvez uma coincidência, talvez… mas talvez tenha sido mais um dos recorrentes silêncios impostos à sociedade pelos mesmos que se intitulam o garante da democracia. Como poderão ser um garante se eles próprios fecham muito do conhecimento num silêncio ensurdecedor?
Enfim… avencemos mas é direito à notícia em causa:

Incidentes (de mortes em massa) foram reportados um pouco por todo o mundo, mas agora depois do google ter mapeado os incidentes, ficou claro que a maioria dos casos estão concentrados na ponta sudeste dos Estados Unidos – bem ao lado do derrame no Golfo do México.
Depois da inexplicável morte de pássaros em Beebe, caíram do céu pássaros em Kentucky e em Louisiana. Incidentes com peixes mortos, inclusive de estrelas e outras vidas marinhas, foram reportados ao longo da corrente do Golfo por toda a costa oceanográfica ocidental. Até mesmo os casos de mortes em massa de caranguejos e peixes nas ilhas britânicas ocorreram no caminho da corrente do Golfo.
In Earth Times

Talvez não venha a acontecer o mesmo no recife de coral australiano, talvez… mas talvez venha a suceder o mesmo, e então quem depois irá pagar pela impagável destruição de vida? Quem? A Chevron? A Shell? A BP? Os juízes que constantemente defendem estes “meninos”? Quem? Os bananas?
Pagamos todos pelos erros de uma sociedade que é incapaz de analisar que a sua riqueza não é medida em numerário, mas sim em quantidade de vida e a qualidade com que é vivida em respeito pela a sua casa, pelo planeta Terra.
Talvez este mundo tenha de gritar a uma voz com a voz de todos os Zé Povinhos que nele habitam e dizer:
DEVOLVAM-NOS AQUILO QUE É DE TODOS!

E talvez por algo como tal estar em falta, ontem, uma vez mais…:

Milhões de sardinhas foram encontradas ontem mortas numa marina de Los Angeles, Califórnia. As operações de limpeza já começaram, mas ainda são desconhecidas as causas da morte dos peixes.
In Diário de Notícias

Conclusão:
À mesa da ganância só são servidas desgraças… e na mesa da ganância empanturram-se aqueles que afirmam não serem ímpios… e o no teste à sua ganância são ilusionistas, brincalhões, uns verdadeiros palhaços da concórdia corporativista… e de corporativismo está a justiça deste mundo cheia… cheia… parece um balão de dólares inflado por mentiras e inverdades putrefactas… putrefacção que ainda não chegou a todos os sítios… e talvez por isso a ganância dos mesmos corporativistas ilusionistas e brincalhões queira por lá mergulhar… mesmo que as águas que agora são ímpias já pouco para mais sirvam do que servir de bandeja para a morte chegar… que chega para incontáveis milhões… até ao dia em que o Homem será ele… também… parte do mexilhão…

Notícia da CNBC – ECB Helped Fuel Irish Bubble, Says Ex-PM
Notícia do Diário Económico – ‘Stress tests’ ainda não começaram mas já são alvo de críticas
Notícia do The Independent – US judge halts damages claim over pollution in Amazon
Notícia do The Independent – Shell oil exploration threatens one of the world’s great wonders
Notícia do Earth Times – Losing sight of the real causes of mass animal death?
Notícia do Diário de Notícias – Milhões de sardinhas encontradas mortas na Califórnia

Anúncios

Um Vazio Sepulcral

HSBC desaponta com lucros de apenas 13,2 mil milhões de dólares. Lucros do HSBC quase triplicam. Avaliação das casas sobe pela primeira vez em seis meses. Banca aproxima avaliação dos preços reais dos imóveis. Avaliação bancária dos imóveis desce 3,3%. Testes de resistência foram suficientes. Capitalização da banca é “confortável”. BDP sugere que vendam activos. Teixeira dos Santos pede à banca para reforçar capital. Moody’s está preocupada com a banca nacional.

Estes últimos dias têm sido verdadeiramente profícuos em notícias pintalgadas de cor-de-rosa nos nossos meios de comunicação social.
Os leitores menos atentos poderão ter caído na esparrela de muita da informação enganosa que anda a saltitar por entre as linhas escritas, por vezes descritas como verdades, que pouco mais são que roteiros programados para afastar do real a mente do Zé Povinho… talvez mentirinhas sagazes com um timing perfeito…

Escrito isto, vamos a elas…

O Jornal de Negócios – apenas um dos exemplos de como tal informação foi noticiada em Portugal – deu lugar de parangona a isto: HSBC desaponta com lucros de 13,2 mil milhões de dólares, e nos meios de informação europeus o que fez parangona foi isto: Os lucros do HSCB quase triplicaram.
Temos aqui em mão uma dualidade de leituras da mesma informação no mínimo extremada. Por isso o melhor é analisar qual das duas realidades é mais “notícia”:
– Lucro que os analistas estimavam:

Ainda assim, o número ficou aquém dos 13,72 mil milhões de dólares para que apontavam as estimativas dos 15 analistas consultados pela Bloomberg.
In Jornal de Negócios

Hmmm… então quer dizer que o lucro do HSBC ficou 500 milhões abaixo do esperado… hmmm… realmente significativo no seu total… sem dúvida…

– Crescimento do lucro:

O resultado líquido do HSBC foi de 13,2 mil milhões de dólares (9,59 mil milhões de euros) em 2010 e mais do que duplicou relativamente aos 5,83 mil milhões do ano anterior.
In Jornal de Negócios

Hmmm… portanto é muito mais parangona o facto de ter crescido menos 500 milhões de dólares que o esperado, do que o facto de ter aumentado o seu lucro em 7,37 mil milhões… hmmm… nada desequilibrado… hmmm…

Seguindo…

O Diário Económico dá lugar de destaque a isto: Preço das casas sobe pela primeira vez em seis meses … Seria realmente uma excelente notícia para a economia nacional, principalmente porque afastava a possibilidade de um cenário de colapso do mercado imobiliário… mas… o mesmo diário económico, passado um dia, apresenta uma outra notícia sobre o assunto que explica um pouco melhor o porquê de tal situação ter acontecido: Banca aproxima avaliação ao valor real dos imóveis

Ainda que ligeira, esta foi a primeira subida dos últimos seis meses, o que pode ser interpretado, segundo os especialistas, como um sinal de que os bancos estão a aproximar as avaliações ao real valor dos imóveis.
In Diário Económico

Hmmm…
Mas não termina por aqui… hoje no diário gratuito Oje saiu uma notícia que explica ainda melhor o que se passa: Avaliação bancária da habitação desce 3,3%

A avaliação bancária de apartamentos e moradias recuou 3,3% em Janeiro em termos homólogos, embora tenha subido 0,2% face a Dezembro, fixando-se em 1133 euros por metro quadrado, indicou ontem o Instituto Nacional de Estatística (INE).
In Oje

Hmmm… então o único sinal positivo a retirar disto tudo é que a banca está a analisar a realidade de forma mais próxima do mundo real, contrariando muito daquilo que descrevem muitas das linhas gastas em paleio de circunstância pelos nossos(?) meios de comunicação social… e, infelizmente, os sinais negativos continuam a fazer caminhar o mercado imobiliário em direcção ao abismo, a agravar-se de modo consistente e permanente…

Continuando…

Carlos Costa, Presidente do Banco de Portugal, apareceu hoje em parangona no jornal SOL a dizer isto: Presidente CGD: testes de resistência foram ‘suficientes’. Para já pode ser dito que depois de todas as criticas em relação aos testes terem sido mais que insuficientes, com tal é facilmente constatável pelo facto de passado menos de um ano se ir realizar outros testes de stress mais rigorosos, esse comentário é no mínimo dúbio, ou na melhor das hipoteses um pouco desprendido da realidade… mas:

«Estes testes trouxeram informação importante aos mercados e, em relação à banca portuguesa, vieram demonstrar que os seus níveis de capitalização e a sua solidez eram inquestionáveis»
In Sol

Tal convicção é digna de registo, tal como é a que está presente numa notícia do jornal Oje: Capitalização da banca é “confortável”

Os responsáveis dos principais bancos portugueses afirmaram ontem que a capitalização da banca é confortável, uma garantia que ocorre dois dias antes de a Comissão Europeia apresentar a metodologia da nova ronda de testes de stress ao sector na Zona Euro.
In Oje

Mas não é que o mesmo Carlos Costa, e no mesmo dia, afirmou que: BdP sugere aos bancos que vendam activos, notícia que faz parangona na Agência de Notícias…

Carlos Costa diz que bancos nacionais têm de mostrar que conseguem superar eventuais chumbos nos testes de stress.
In Agência de Notícias

Hmmm… no mínimo esta afirmação não liga lá muito bem com a que teve lugar de parangona no Sol, pois não?
Hmmm…
E então se ficarmos a saber que o Diário Económico deu lugar de parangona a isto: Teixeira dos Santos e Carlos Costa pedem à banca para reforçar capital

Reforçar capitais e desalavancar. Foi esta a mensagem passada ontem pelo ministro das Finanças e pelo governador do Banco de Portugal, quase em uníssono, à banca nacional.
In Diário Económico

Hmmm… e não está sozinho na afirmação de que a banca nacional tem de vender para aumentar o seu capital líquido em caixa de forma a não chumbar nos novos testes de stress… hmmm…
Talvez toda esta indefinição do Sr. Carlos Costa e dos nossos(?) meios de comunicação social tenha a ver com o facto de hoje o Diário Económico escrever que: Moody’s está preocupada com saúde da banca portuguesa

A forte dependência dos bancos nacionais do Banco Central Europeu para obter financiamento está no centro das preocupações da Moody’s, que ouviu também com apreensão os recados do ministro das Finanças e do governador do Banco de Portugal para os bancos reforçarem capitais, em vésperas de novos ‘stress tests’ na Europa.
In Diário Económico

Ah!!!… Já percebi, foi tudo apenas um erro de interpretação do passado quando comparado a este presente, em que a banca não consegue financiamento nos mercados e está quase totalmente dependente da boa vontade do Banco Central Europeu… hmmm… Mas então porque razão os nossos(?) meios de comunicação deram lugar de parangona ao passado? E porque razão nenhum foi capaz de questionar o porquê de tanta incongruência no discurso do Sr. Carlos Costa? Já não faz parte do jornalismo fazer as perguntas incomodas? Será o jornalismo apenas um copiar sem questionar?
Hmmm…

Estes foram três “pequenos” exemplos, consoante a interpretação de cada um, de como a realidade de um mundo pode ser mentira no mesmo impulsionada pela ausência de jornalismo no jornalismo…
Três “pequenos” exemplos de como os meios de comunicação social podem ser veículos de textos programados, de imagens distorcidas e de mentiras encapotadas.
Três “pequenos” exemplos de como a nobre arte de fazer jornalismo deu lugar a um quase e exclusivo copy\paste de afirmações não confirmadas, a parangonas desonestas na forma como abordam a informação, e a realidades invertidas para “ficarem” mais de acordo com o tom cor-de-rosa “pedido” por alguns dos interesses que pululam por aí… tipo bonitas carochinhas às bolinhas a quem ninguém lhes pode fazer mal…
Por onde andam o jornalismo e os jornalistas?!?!?!?!?!?!?!

Conclusão:
Lucros que são prejuízo nas parangonas… realidade que invertida é para vender o sonho da mentira de alguns… e senhores que falam, falam, falam, e pouco mais dizem que pequenas e constantes mentirinhas de modo a irem pintando o mais cor-de-rosa possível o nosso pequeno e quase sequestrado mundo…
Jornalismo! Ei! Jornalismo! Jornalistas? Ei! Alguém? Está por aí alguém?…
Um vazio sepulcral…

Notícia do Jornal de Negócios – HSBC desaponta com lucros de 13,2 mil milhões de dólares
Notícia do The Telegraph – HSBC profits near triple to $19bn
Notícia do Diário Económico – Preço das casas sobe pela primeira vez em seis meses
Notícia do Diário Económico – Banca aproxima avaliação ao valor real dos imóveis
Notícia do Oje – Avaliação bancária da habitação desce 3,3%
Notícia do Sol – Presidente CGD: testes de resistência foram ‘suficientes’
Notícia do Oje – Capitalização da banca é “confortável”
Notícia da Agência Financeira – BdP sugere aos bancos que vendam activos
Notícia do Diário Económico – Teixeira dos Santos e Carlos Costa pedem à banca para reforçar capital
Notícia do Diário Económico – Moody’s está preocupada com saúde da banca portuguesa

O Santo Graal das Mentiras

Leilão foi um sucesso e 80% da procura foi do exterior. Chineses ajudam Portugal com mil milhões. BCE ajuda Portugal a manter acesso ao mercado. Alemanha em ano de crise com o maior crescimento desde 1992. Bruxelas prepara ajuda de 100 mil milhões a Portugal. Cada português deve 15 mil euros aos 10 maiores credores. QE2 está a levar os Estados Unidos para águas bravas.

Hoje o nosso absolutamente brilhante Ministro das Finanças e de Estado, provavelmente uma das maiores “bananas” que Portugal conheceu na sua história, veio todo pomposo afirmar que a emissão de dívida de hoje foi um valente sucesso e que cerca de 80% da procura veio do exterior.

“A China já comprou este ano cerca de 1,1 mil milhões de euros de dívida de longo prazo da República Portuguesa, apurou o CM.”
In Correio da Manhã

Terá antes sido um sucesso para a China? Terá sido um negócio da China?
Convém salientar que os 1,1 mil milhões já adquiridos pela China este ano (até ao dia 10 deste mês), não estão incluídos nos 1.249 mil milhões emitidos hoje. Podemos então especular um pouco e dizer que a China deverá representar a grossa fatia desses 80% de investimento estrangeiro…
Também podemos afirmar que em 12 dias de 2011 Portugal já se endividou, no mínimo dos mínimos, em 2,9 mil milhões de euros. Estamos mesmo a caminhar na direcção contrária à tão propalada redução do défice… mas isto sou eu apenas a mandar bitaites, ou não?

Para além das ajudas chinesas, o Banco Central Europeu tem andado a comprar que nem doido dívida soberana nacional de forma a tentar manter os juros abaixo dos 7%.

Portugal poderá ainda não estar a ser resgatado pelo FMI-UE, mas certamente já está a ser parcialmente vendido à China e ao BCE, pois nenhuma destas instituições é uma instituição de caridade, ambas buscam o lucro e primazia nos sectores lucrativos nacionais. Esta parceria concertada entre China e o BCE é quase o mesmo de estar a ser resgatado oficialmente, apenas diverge no facto do Zé Povinho julgar que não se passa nada e que Portugal está a conseguir conter a força da tempestade… nada mais enganador!

E em contraciclo eis que a Alemanha atinge uma marca histórica no ano de 2010. 2010 que foi o ano da desgraça para a Grécia e Irlanda e muito outros países ocidentais, incluindo Portugal, é ano das maravilhas na economia alemã… com um crescimento de 3,6%, valor sem paralelo desde 1992.
Esta situação deixa uma pergunta no ar:
Será a economia alemã um abutre que se alimenta dos restos putrefactos das economias que a rodeiam. Seremos nós alimento para o crescimento alemão?
Este é um mundo de fracos e fortes, onde o forte consome o mais fraco, por isso…

Enquanto assistimos impávidos e alguns serenamente o desenrolar das situações, eis que Bruxelas já alinhavou 100 mil milhões  para INVESTIR em Portugal. Não escrevi sem querer a palavra INVESTIR. Bruxelas é mais um dos predadores que está sentadinho à espera do momento mais oportuno para caçar mais um vítima e depois tipo abutre alimentar-se do sangue e restos por si espoliados.
Mas há mais… 100 mil milhões é mais do que a ajuda providenciada à Grécia e à Irlanda!
100 mil milhões significa que Portugal, que tem uma economia inferior à grega e à irlandesa, está em pior estado que os países que já foram INVESTIDOS pela UE.

Para se ter uma noção mais aprofundada do nível dívida criado pelas elites que nos (des)governaram nas últimas décadas, nada melhor que analisar os números avançados nas informações que os bancos deram em Março do ano passado ao Comité das Autoridades Europeias de Supervisão Bancária. (Valores avançados durante o pseudo teste de stress aos bancos)
Cada português, 10,6 milhões, deve 15 mil euros aos 10 maiores credores da dívida soberana nacional- 15 MIL EUROS.
Quantos portugueses ganham 15 mil euros por ano???
A resposta a esta pergunta responde ao nível insustentável que estão as finanças de um país que está a ser consumido pelas ânsias de ganância das elites bananeiras e casineiras que nos (des)governam e (des)governaram nas últimas décadas!
Já poucos se devem lembrar que os impostos que pagamos são para termos acesso GRÁTIS à saúde, às estradas, a transportes públicos acessíveis, a serviços públicos para todos… Já pouco se devem lembrar que não pagamos impostos para sustentar casineiros, nem que temos de pagar ainda mais que os impostos que já pagamos para termos acesso a serviços básicos… Já poucos se recordam que os impostos são para nós e não deles!
Escrito isto, convém fazer as contas e apresentar o número da vergonha nacional: 157.440 milhões de euros de dívida acumulada aos 10 maiores credores de Portugal! Apenas aos 10 maiores! Podemos estimar que outro tanto, ou mais, estará disperso pelos restantes!
Quanto mais que 15 mil euros estará cada português a dever?
Apresenta-se excelente o nosso futuro, verdade?
É uma bela imagem das qualidades dos “bananas”, verdade?
Podemos todos estar descansados que a nossa banca é inabalável, verdade?
A verdade é que a verdade é substancialmente diferente daquela que os mestres da mentira e ilusão nos contam… os bananas e seus compinchas os casineiros.

Por vezes, para se conseguir compreender melhor o verdadeiro sentido das coisas, temos de sair do nosso espaço físico e entrar noutras fronteiras para se entender a verdadeira extensão das tomadas de opção dos  bananas e dos casineiros.
Hoje vou-nos transportar até aos Estados Unidos e analisar o QE2 – pacote de ajuda Nº2 – na economia americana e as suas similaridades com os pacotes de ajuda aplicados em Portugal e na Europa.

“Os Estados Unidos estão a trocar uma crise financeira por uma insidiosa crise social.”
“Há um detalhe significativo na informação das vendas a retalho de Dezembro nos Estado Unidos.(…) As lojas de venda de produtos de luxo registaram um crescimento de 8,1%, mas as lojas de retalho de produtos para a classe média\pobre cresceu apenas 1,2%.”
“Este é o fruto caduco das políticas da Reserva Federal. O Fed já nem se dá ao trabalho de negar que o propósito do QE2 é fazer crescer Wall Street.  A ardilosa estratégia de Ben Bernanke arrisca corroer a solidariedade americana muito antes de conseguir fazer algo pelos pobres da América.”
In WA Today – Ambrose Evans-Pritchard

Uma vez mais pela voz de Evans-Pritchard temos acesso a uma visão mais profunda do real significado das coisas.
Agora já é mais entendível o porquê da Alemanha estar a crescer enquanto os países mais pobres da Europa ficam ainda mais pobres. A lógica é a mesma, todo o dinheiro criado e injectado na Europa está a ir parar às mãos daqueles que menos necessitam dele, agudizando e enfatizando as diferenças que já existiam.
Neste mundo não cabe Portugal, nem a Grécia, nem Irlanda, nem nenhum país que não seja rico. Este mundo é um mundo para quem já tem demais, onde as políticas servem apenas para lhes dar ainda mais, deixando sempre à margem, ou à espera que os que têm demais cedam um pouco para que os pobres consigam sobreviver:

“O número de pessoas que subsistem a senhas de ração – no valor de 140 dólares cada – chegou aos 43,2 milhões, um recorde de 14% da população.”
In WA Today

Portugal e os portugueses irão em breve fazer parte dos 14% da Europa que irão sobreviver a senhas de ração dadas pelo FMI e pela UE…

Conclusão:
Uma vez mais os “bananas” fazem uma festa porque conseguiram adiar para mais tarde a verdadeira profundidade dos problemas que têm vindo a criar faz décadas… adiam os problemas vendendo ao desbarato aquilo que não é deles mas sim nosso, aos chineses e ao Banco Central Europeu (predadores)… criando no Zé Povinho a falsa ilusão de resolução dos problemas… enquanto isso os ricos da Europa atingem marcos históricos, só possível porque já não usam o marco como moeda e se alimentam tipo abutre dos restos putrefactos dos países mais pobres… e para conseguirmos ver a real efectividade dos problemas temos de ir até ao centro da falsa democracia que nos (des)governa, até aos Estados Unidos, para se perceber que todas, ou quase todas as medidas tomadas para salvar a economia mundial não mais foram que medidas para ajudar quem não necessitava de ajuda, e ficarmos a saber que por terras do Tio Sam, a dita terra sagrada da democracia, não ser rico é ser-se um pária que conta apenas para as estatísticas das senhas de ração que já representam 1\6 de todos os que por lá vivem…
Digam lá que não é bom saber que o Santo Graal das mentiras se aninha nos seios que dão de comer aos bananas e aos casineiros… os seios somos todos nós que não fazemos parte do grupo dos ricos, parte do 1%… nós somos a vaca leiteira que dá de mamar aos insaciáveis predadores…

Notícia do Diário Económico – Leilão foi “um sucesso” e 80% da procura veio do exterior
Notícia do Correio da Manhã – Chineses ajudam Portugal com mil milhões
Notícia do Diário Económico – BCE ajuda Portugal a manter acesso ao mercado no leilão de hoje
Notícia do Diário Económico – Alemanha fecha ano de ‘crise’ com maior crescimento desde 1992
Notícia do Jornal de Negócios – Bruxelas prepara ajuda de 100 mil milhões a Portugal (act.)
Notícia do Sol – Cada português deve 15 mil euros aos dez maiores credores
Notícia do WA Today – QE2 is sailing the US into stormy waters

Na Lama\Cama Com a Banca

Informações veiculadas pela banca sobre dívida soberana cada vez mais turvas. DECO acusa bancos de não cumprirem limites nos custos por reembolso antecipado. Bancos portugueses ganham 7,7 milhões por dia em comissões. Estado perde impostos com a aquisição do Finibanco por parte do Montepio.

Vamos lá uma vez mais fazer as contas da banca na cama dela…

Primeiro, ficamos hoje a saber que o principal objectivo dos stress testes realizados à banca europeia, que era a clarificação dos riscos com a dívida soberana em sua posse, não foi cumprido por muito dos bancos.
Surpresa? Surpresa era dar um beijinho num sapo e ganhar uma donzela nos lençóis…
Este “pequeno” detalhe fez com que parte(?) dos resultados tenham ficado um pouco mais coloridos…

Enquanto este senhores não conseguirem compreender que as soluções de curto prazo acabam quase sempre por voltar para os perseguir ainda com mais intensidade, nunca mais iremos sair deste ciclo do sobe e desce na economia.
Escrevi este parágrafo porque o efeito do colorido está a desvanecer, e porque ao mais ligeiro sinal de um pequeno problema esta noção esboroou-se e os mercados estão a voltar à carga para castigar os meninos mentirosos.

Alguns dos exemplo de bom comportamento:
* O Barclays, que foi o banco mais bem classificado nos stress testes, revelou à época deter 850 milhões de euros de dívida soberana italiana. Ora, passadas umas semanas esse valor disparou para 9,3 mil milhões de euros.
* Royal Bank of Scotland – À época revelou ter em dívida soberana irlandesa 353 milhões de euros. Agora diz ter 4,65 mil milhões de euros.
A isto chamo investir e à grande no mais curto espaço de tempo possível! MENTIROSOS MANIPULADORES!

Agora andam todos a dizer que essa disparidade nos resultados foi culpa dos critérios dos stress testes… eu digo que foi por culpa de serem mentirosos compulsivos – já existe tratamento para isso!

Podemos sempre confiar nas instituições que dizem gerir e controlar a nossa economia… são uns santos e todas as suas intenções são puras e inócuas… e claro o Freddy Kruger também é um anjinho…

Para além de mais este “detalhe” da vida liberal da banca, hoje outros estão a curtir o bailinho da Madeira…

Já tínhamos sabido que por debaixo da mesa algumas instituições bancárias andavam a acrescentar clausulas aos contratos de empréstimo para nova casa, sem o conhecimento dos mutuários. Agora a esse pormenor temos de acrescentar que outros – diferentes dos que foram apanhados a fabricar clausulas -, o Crédito Agrícola e o Deutsche Bank, foram, diz a DECO, apanhados a cobrar taxas mais elevadas do que as permitas por lei sobre o pagamento antecipado dos empréstimos.

E hoje também ficamos a saber que os bancos portugueses, só e apenas os portugueses, capitalizam por dia 7,7 milhões de euros em comissões.
“Peanuts” para empresas que vivem à sombra dos mil(es) milhões de lucro por semana.
Gostava de saber quanto destes 7,7 milhões é resultado de acções mafiosas destes meninos…

E para fechar as contas por hoje, o Estado português vai UMA VEZ MAIS perder dinheiro com compras das grandes instituições financeiras.
Caso a compra do Finibanco pelo Montepio vá para a frente, o IRC do Finibanco faz “caput”… com que num passo de mágica…

Gostava daqui de endereçar os meus sinceros agradecimentos aos “bananas” que nos (des)governam pela capacidade de análise e preparação do seu futuro… isto de trabalhar para um futuro financeiro pessoal mais consolidado é algo que poucos portugueses conseguem ter o discernimento de fazer… muito, muito bem… daqui a uns anos estarão quase todos nos quadros de alguma instituição financeira com um ordenado chorudo…

Ah como é boa a vida na cama com a banca…

Notícia do The Wall Street Journal – Bank Sovereign-Debt Disclosures Get Muddied
Notícia do Jornal de Negócios – DECO acusa bancos de não cumprirem limites nos custos por reembolso antecipado
Notícia do Jornal de Notícias – Bancos portugueses ganham 7,7 milhões por dia em comissões
Notícia do Jornal de Negócios – Estado perde impostos com integração do Finibanco no Montepio

Já Somos Uma Província de Espanha

Juros da dívida Portuguesa voltam para os níveis verificados antes dos stress testes depois da Moody’s avisar que deve baixar o rating da Espanha.

Ao contrário os mercados internacionais não aumentaram a pressão sobre os título de dívida espanhola.

Contradições? Não, apenas o confirmar de dois pontos muito importantes que têm sido quase descurados pelos analistas e meios de comunicação em Portugal.

Primeiro, qualquer espirro da economia espanhola causa uma constipação na economia Portuguesa, porque grande parte do nosso tecido produtivo e comercial está nas mãos de capital espanhol.

Segundo, a resposta em relação aos resultados dos stress testes à banca em Portugal e em Espanha.
Espanha utilizou os requisitos mais apertados de todos os países da Zona Euro na condução dos stress testes, o que passou uma imagem aos mercados internacionais menos boa que a maioria dos outros países europeus, mas mais importante passou uma imagem real, e agora começam a colher os dividendos sobre essa forma de agir. É essa imagem real que está a defender agora a Espanha. Ao invés, Portugal apresentou resultados nos stress testes que cheiram mesmo a charada, e agora os mercados internacionais vão-nos fazer pagar por isso.

E relembrar, se a Espanha baixar mais um degrau na Moody’s é apenas uma questão de dias, semanas, até o mesmo acontecer com Portugal, e poderá ser mais do que apenas um degrau abaixo…

Somos, sem grande margem para dúvidas, já uma província espanhola, anexada não através da força das armas, mas através da incapacidade dos sucessivos “bananas” que passaram pela Assembleia da República ao longo dos anos, que venderam a desbarato a economia Portuguesa para capitalizarem o seu presente hipotecando o nosso futuro…

Notícia do Público – Juros da dívida portuguesa disparam após aviso da Moody’s a Espanha

Os Testes Não Destressaram Ninguém

Os consumidores britânicos temem uma nova recessão. Banco de Inglaterra avisa os britânicos para se prepararem para a inflação. Islândia diz que não está em risco de falhar com os pagamentos. Investidores cautelosos receando uma segunda recessão. Economia americana abranda.

Na segunda feira escrevi no post Agora Começa a Surgir o Stress ao Destress que seria para o final desta semana que veríamos como os mercados reagiriam aos “fabulásticos” resultados dos stress testes.

Primeiro gostava de usar uma comparação entre a resposta dos mercados aos stress testes americanos em 2009 e os realizados na Europa.
Os stress testes americanos foram quase por si só os responsáveis pelo recrudescimento da confiança económica, levando a confiança e o crescimento das mais valias a todos os mercados internacionais. Os meses que se lhes seguiram assistimos a um crescimento bolsista excepcional…
Na Europa? Bem, hoje quase todas as praças fecharam em baixa, assim como ontem e um pouco menos anteontem. No mínimo são resultados antagónicos com os gerados pelos stress testes americanos.
Daqui podemos começar a formular uma conclusão: Os investidores não acreditam nos resultados dos stress testes europeus.
Acabaram quase unicamente por ser uma manobra de charme político para os Zés Povinhos e muito pouco mais que isso…

Esta noção de apenas charme político será confirmada ou desmentida nas próximas semanas, mas os sinais que nos estão a chegar não fazem prever nada mais do que a continuação das quebras nos mercados internacionais, ora vejamos:
– Em Inglaterra, nos Estados Unidos, em Portugal e um pouco por todos os países ocidentais, os consumidores estão em retracção, conduzindo a uma contracção económica cada vez mais evidente nos mercados de capital.
– Começam a surgir os primeiros avisos “oficiais” para o provável escalar da inflação. Estes avisos não levam em conta uma segunda recessão, e aí digo que entraremos numa época de “estagflação”, onde a economia entrará em recessão acompanhada por valores crescentes na inflação. Este é o pior tipo de recessão que se pode ter…
– Novamente os problemas bancários na Islândia a querer antecipar a recessão. Tal como em 2007, a Islândia estoirou primeiro que a bolha imobiliária americana.
– Os investidores estão a desinvestir nas bolsas com receio de uma nova recessão. A confiança que poderia e deveria ter sido dada pelo stress testes europeus foi gasta em pólvora seca e palavras de circunstância… e isto ainda vai sair caro…
– E para fechar o ramalhete, a economia Americana está a perder momento (caiu 0,3%), assim como a chinesa (caiu 2%). Os efeitos dos pacotes de estímulo começam a desvanecer e como a Europa deu um sinal negativo à economia mundial com os stress testes, as coisas não tendem a melhorar…

Gostava de fechar com esta noção. Quase todas as instituições bancárias portuguesas terminaram a semana em queda na bolsa.
Pergunto: “Mas não foram elas que saíram com nota de “excelente” dos stress testes e apresentaram nesta mesma semana todas aumentos de lucros?”
Existe aqui uma ambiguidade.
Acho que dificilmente melhor resposta os investidores poderiam ter dado em relação à “veracidade” dos valores apresentados pela banca nacional nos stress testes do que vender, vender, vender…

Notícia do The Telegraph – Britons’ fears raise double-dip recession chance
Notícia do The Telegraph – Bank of England’s Mervyn King warns Britons to brace themselves for inflation next year
Notícia da Bloomberg – Iceland Says It’s `Far From Defaulting’ as Rating Nears Junk
Notícia da USA Today – Investor fears outweigh stunning earnings gains
Notícia do Jornal de Negócios – Economia dos EUA abranda crescimento no segundo trimestre

%d bloggers like this: