Arquivos de sites

Às Contas Com os Números da Banca

Hoje, com base em notícias que fui recolhendo no espaço do último mês, vou fazer as contas às contas dos lucros da banca em 2010, algo que faço regularmente para ajudar todos a entenderem um pouco melhor que crise lá para aqueles lados é apenas uma palavra de circunstância, de retórica, pouco mais que retórica política e publicitária, porque a realidade é esta e bem diferente: (Em euros)

  • Banco BIG — 20,5 milhões
  • Montepio Geral — 37,72 milhões
  • Banco Pastor — 62 milhões
  • Maiores bancos comerciais de Moçambique — 83,7 milhões
  • BPI — 184,8 milhões
  • Caixa Geral de Depósitos — 250,6 milhões de euros
  • BCP — 301,6 milhões
  • Banesto — 460,1 milhões
  • BES — 510,5 milhões
  • Popular — 590 milhões
  • Credit Suisse — 637 milhões de euros
  • Banco Sabadell — 968 milhões
  • La Caixa — 1,3 mil milhões
  • Commerzbank — 1,4 mil milhões
  • Société Générale — 3,92 mil milhões
  • Barclays — 4,23 mil milhões
  • 3 maiores bancos japoneses — 4,5 mil milhões
  • BBVA — 4,606 mil milhões
  • Itau — 5,91 mil milhões
  • BNP Paribas — 7,8 mil milhões
  • Santander — 8,18 mil milhões
  • Maiores bancos russos — 13 mil milhões
  • TOTAL: 58.952,520 milhões de euros!

O lucro de apenas 30 bancos, aproximadamente, no ano de 2010… apenas 30 bancos, sem os americanos e sem milhares que pululam pelo mundo fora!!!
Quem desejar tentar extrapolar este valor para a totalidade do mundo… que o faça… aviso apenas que poderão chegar a um valor total que poderá ser absolutamente irreal para o nosso mundo…

Pessoalmente não conheço outro sector empresarial no mundo que registe lucros tão imensos, e principalmente quando o sector retractado não produz absolutamente nada a não ser dívida para o restante do mundo…
Quer dizer, talvez o mercado de venda de armas e o de droga consigam superar os seus números… talvez…

E o que dizer deste mesmo sector, que se banha em lucros abismais, ser um dos que menos impostos paga no mundo ocidental?(Escrevi “dos que menos impostos paga” e não “o que menos impostos paga” porque o tráfico de droga não paga impostos…)

E o que dizer que nós, os Zé Povinhos, tivemos de salvar este sector da ruína financeira? Mas que ruína financeira qual carapuças! Este sector é ele a ruína financeira do mundo! E enquanto não for tratado como tal, muitas mais ruínas ir-se-ão abater sobre este mundo… e isso é certinho como o destino, a não ser que os Zé Povinhos do mundo deixem de providenciar guarida de silêncio às acções dos bananas que os defendem com unhas e bolsos!

Notícias de Apoio:
Notícia do Jornal de Negócios – Banco BIG aumenta lucros em 66% mas reduz dividendos a metade
Notícia do Expresso – Moçambique: Lucros dos maiores bancos comerciais cresceram 18% para 83,7ME — KPMG
Notícia do Diário Económico – Lucro do Commerzbank excede expectativas
Notícia do Jornal I – Lucro do BNP Paribas sobe 34,5% para 7,8 mil milhões de euros em 2010
Notícia do Pravda – Russian banks earned record profits in 2010
Notícia do Diário Económico – Lucro do Barclays sobe 36% e bate previsões
Notícia do Jornal de Negócios – Lucros do Société Générale crescem quase seis vezes em 2010
Notícia do OJE – Lucro do Banco Pastor cai 38,6% para 62 milhões
Notícia do Jornal de Negócios – Lucros da CGD descem 10% com perdas na bolsa a pressionar (act)
Notícia do Diário Económico – Lucro do Credit Suisse desilude analistas
Notícia do NIKKEI – 3 Megabanks’ Combined Net Profit Rose 150% In April-December
Notícia do Diário Económico – Santander lucra mais de 8 mil milhões em 2010
Notícia do Público – Lucros do BBVA cresceram 9,4 por cento em 2010 para recorde de 4606 milhões de euros
Notícia do Jornal de Negócios – Popular com lucros de 590 milhões em 2010
Notícia do OJE – Lucro do BCP sobe 34% para 301,6 milhões e supera estimativas
Notícia do Sol – Lucro do BES desce 2,2% em 2010
Notícia do Sol – Lucros do BPI sobem 5,6%
Notícia do OJE – Lucro do Banco Sabadell cai 27,3% em 2010 devido a aumento de provisões
Notícia do Diário Económico – Lucros do espanhol La Caixa caíram 13,4% em 2010
Notícia do OJE – Lucro do Banesto cai 17,8% em 2010, para 460,1 milhões
Notícia do Diário Económico – Lucros do Montepio Geral ficam estagnados em 2010
Notícia do Diário de Notícias – Itau regista maior lucro da história do sector bancário

Anúncios

E Agora as Culpas São de…

Ricciardi: A subida das taxas de juro é culpa da Angela Merkel. Nomura diz que a economia portuguesa vai contrair 1,1% no próximo ano. A Morgan Stanley afirma que a dívida de Portugal vai continuar a crescer. Portugal sobe para 5º lugar da tabela do clube da bancarrota. Ministro das Finanças alemão: Os Estados Unidos vivem há demasiado tempo de dinheiro emprestado.

Ricciardi – não, não é o DJ é o CEO do BES Investimento – diz que a culpa dos juros cobrados a Portugal estarem a subir é da Angela Merkel.
Ora, mas que porra, a culpa nem sequer é da Alemanha é apenas da coitada da Angela que se calhar nem sabe fazer as contas de sumir…
Deixe-me dizer-vos que este falso DJ é uma daquelas vacas sagradas da seita financeira que defende com unhas e dentes este sistema de especulação financeira. Mas com que moral vem esta bosta ambulante mandar bitaites para o ar? Com que moral Sr. “casineiro” pode culpar alguém das suas próprias culpas?
Este é mesmo um mundo visto a cores… umas vezes pintado a cor-de-rosa quando lhes dá jeito e logo a seguir a negro quando jeito lhes dá… é só moral.

Seguindo a lógica do falso DJ Ricciardi, as contas do Nomura que apontam para uma recessão de 1,1% do PIB de Portugal em 2011, também serão culpa da Angela?
Tal como ontem escrevi, agora vamos entrar no circulo das culpas e desculpas, onde quase todos os que se desculpam são os verdadeiros culpados…
Em relação às contas do Nomura, gostava deixar aqui escrito que me parecem ainda assim muito rosáceas, até mesmo demasiado rosáceas… mais tarde veremos se serão os números de 0,5% positivos do governo, os -1,1% do Nomura ou os -2,5% a -3% que a mim me cheiram…

Ainda com a lógica do falso DJ Ricciardi, a Morgan Stanley – não são maninhos estes dois? diz:

“Mesmo que os Governos sigam rigorosamente os seus planos de austeridade, a dívida vai continuar a aumentar durante vários anos”

In Diário Económico

Já que o problema é a Angela, porque não fazer como a Mossad, ou a CIA, ou o FSB e usar uma aspirina com cianeto na senhora? E violá, problema resolvido…
Era bom que os sonhos destes senhores não fossem os nossos pesadelos, por isso… nope, o problema não é a Angela, são vocês!

E mais um marco significativo para a marca Portugal. Já estamos cada vez mais perto do pódio das nações que mais provavelmente irão entrar em incumprimento – bancarrota. Estamos num verdadeiramente honroso 5º lugar da tabela, de onde destronámos o Paquistão…
Sabem o Paquistão é aquele país que esteve semanas inundado debaixo de água, onde morreram milhares e grande parte das suas estruturas foram destruídas. Sabem que esse país teve de se endividar monumentalmente de forma a ter fundo maneio para a reconstrução?
Sabem, acabámos de o ultrapassar… somos verdadeiramente um fenómeno, e sem cheias, apenas as barrigas cheias dos nossos pobres sectores financeiros…
E já que andamos a bater tanto na Angela, talvez o melhor seja mesmo ouvir o que o Ministro das Finanças do seu governo nos tem para dizer:

“Os Estados Unidos vivem há demasiado, inflacionando desnecessariamente o seu sector financeiro e negligenciando as suas pequenas e médias empresas.”

In Spiegel

Hmmm, retirando da frase o inflacionamento do seu sector financeiro, porque já não temos uma moeda própria, não poderíamos trocar Estados Unidos por Portugal nesta frase e chegar à conclusão que a carapuça nos serve perfeitamente?
Andarão eles a bater na Angela porque o que é preconizado pelo estado alemão é a sustentabilidade das contas correntes e não o aumentar exponencial da dívida e da inflação da moeda?
Cada vez tendo mais para este lado pois as poupanças dos Zé Povinhos do mundo não são lá coisa que satisfaça muito a fome de especulação dos “casineiros”, para além de que essa poupança reflecte-se imediatamente no nível de dívida contraído, e sem contracção de dívida os “casineiros” quase deixam de ter casino para brincar.

Conclusão:
O nosso DJ residente do casino dos “casineiros” aponta o dedo a quem lhe está a colocar em causa o negócio que alimenta o seu vício. Soluções nem vê-las: Deixem as coisas tal como estão! Esperneia o nosso falso DJ!
Deixem-me dar mais um xuto no vossas vidas! Berra o falso DJ!
Deixem-nos governá-los que iremos mostrar como o nosso vício destrói o que o Homem no último século construiu… – Este é o diabinho da sua consciência a falar.
P.S: Tentei escrever algo que representasse o anjinho da sua consciência, mas a única coisa que me ocorreu foi: Estou tão cansado desta vida que talvez vá comprar uma ilha na Grécia para lá viver os restantes dias da minha reforma…

Notícia do Jornal de Negócios – Ricciardi: “Subida de juros não tem nada a ver com o PS e PSD, mas com a senhora Merkel”
Notícia do Diário Económico – Economia portuguesa contrai 1,1% no próximo ano, diz o Nomura
Notícia do Diário Económico – Dívida de Portugal vai continuar a aumentar
Notícia do Expresso – Clube da bancarrota: Portugal sobe para 5.º lugar
Notícia do Spiegel – ‘The US Has Lived on Borrowed Money for Too Long’

Mais do Roubo da Banca

Bancos alteram contractos de crédito à habitação sem o acordo dos clientes.

BCP, BES e Montepio são os três bancos onde a DECO encontrou modificações nos contractos sem conhecimento dos clientes.

É bom saber que aquelas intermináveis páginas de cláusulas que existem nos contractos de empréstimo à habitação são tão inquestionáveis e sagradas para os bancos.
Será que em caso de incumprimento no pagamento também poderemos adicionar lá uma cláusula que iniba os bancos de qualquer procedimento monetário ou judicial?

A seriedade e confiança que estes senhores nos transmitem é algo digno de registo, talvez algo mesmo só comparável à Madre Teresa de Calcutá…

Para além disto, o importante a retirar daqui são duas conclusões.
– Esta é uma medida concertada, pois quase todos os maiores bancos privados já foram apanhados com a boca na botija. Por onde anda a Autoridade da Concorrência?!
– Todos os novos empréstimos à habitação já virão com a cláusula “maravilha” – Permite aos bancos alterar os juros caso os mercados financeiros o justifiquem.

Não sei se conseguem “visualizar” a extensão de tal clausula. Os bancos poderão passar a invocar sobre todo e qualquer pretexto dos mercados financeiros o aumento das taxas de juro. Por exemplo, assina um contracto com juros a 0,0000000000001% e o banco quando bem entender altera esse valor para o que mais lhe convier, invocando os mercados financeiros, e se o aumento dos juros for de 100%, que seja de 100%. (Este é um exemplo extremo, mas é esta a extensão passível nesta cláusula)

Estes “casineiros” só irão aprender (mesmo que duvide que tenham tal capacidade) quando o Zé Povinho deixar de trabalhar com eles e voltar a guardar o seu dinheiro debaixo do colchão…

Notícia do Jornal de Negócios – Bancos alteram contratos para subirem “spreads” sem acordo dos clientes

Agora Começa a Surgir o Stress ao Destress

Bancos alemães não revelaram a “totalidade dos detalhes de dívida”. O triunfo de “lobistas” do mundo financeiro. Testes de stress não foram mais valia. Dito aos bancos: Ou emprestam mais ou perdem os bónus. Um teste cinicamente calibrado para estabelecer o resultado, Wolfgang Munch.

Primeiro gostava de salientar que lá muito lentamente os meios de comunicação em Portugal vão colocando dúvidas sobre a qualidade dos testes. Hoje foi o jornal Oje a dar uma pequena notícia sobre esse assunto. Infelizmente esse tipo de notícia irá ser a regra porque as notícias sobre as fraquezas dos testes são cada vez mais e porque essa está a começar a ser a resposta dos mercados, com subidas quase marginais depois do estrondoso sucesso que foi o resultado dos testes de stress.
Desde sexta feira que fiquei com a convicção que seriam apenas os bancos a puxar as bolsas e os restantes sectores em baixa. Ora, nem mais, sinal de que os bancos poderão andar a comprar acções uns dos outros (lol). Sinceramente a única surpresa que estou a ter hoje é o facto do euro se estar a valorizar em relação ao dólar, este é mesmo um bom sinal… só espero que não esteja por lá “dedo” do Banco Central Europeu.
Se no primeiro dia a resposta está a ser tão pouco convincente, quando ainda anda quase tudo inebriado com os resultados dos testes, o que poderemos esperar lá para o final da semana e para as semanas que se seguem?

Depois, começam a surgir as primeiras notícias de que os bancos “contornaram” as contas com artimanhas técnicas. Na Alemanha estão a ser colocadas em causa as contas apresentadas pelo Deutsche Bank, Deutsche Postbank, Hypo Real Estate e mais dois bancos com menor expressão no mercado.
Hoje “achei” graça a uma afirmação de Ricardo Salgado, presidente do BES, na televisão: “Para surpresa de muitos os bancos portugueses apresentam melhores registos do que a banca alemã”.
Será que posso deixar no ar a pergunta: “Terão os bancos portugueses sido ainda mais “engenhocas” com as suas contas?”
É uma questão válida, pois quando uma série de analistas apontavam o falhanço de um ou mais bancos portugueses, todos terem passado com distinção no teste é algo um pouco inusitado. Parece que todos cabularam…

Ora, e também nos chega a noticia que depois dos stress testes terem sido um sucesso (para quem?), os “lobistas” do mundo financeiro estão a dificultar ao máximo a aprovação de novas regulações sobre o mercado.
Pessoalmente não tenho muitas dúvidas sobre quem irá ganhar esta guerra… ora, vamos lá ver se acerto… quem tiver mais dinheiro ganha a batalha! lol
Mais uma vez fazer “lobby” sobre os políticos é algo que é visto pelos meios de comunicação como algo absolutamente normal… Será que alguém poderá dizer a esses senhores que fazer “lobby” sobre as instituições que criam as leis é corrupção quando se deixam tentar por aquele “sei-lá-o-quê” que lhes dão…
Estamos sempre na crista da onda…

Em Inglaterra estão a pensar adoptar a lei do chicote: “Ou emprestam dinheiro às empresas ou então não recebem mais rebuçados!”
A banca a nível mundial recebeu dinheiro para se reestruturar e para manter a liquidez do mercado, e o que fizeram? Houve uns que o guardaram só para eles, ah e claro para os bónus dos quadros superiores. Outros suspeito terem logo ido a correr para a mesa de póker da economia mundial gastar uns tostõezitos…

Ui, vamos ter umas semanas e talvez mesmo meses de destress testes a começar a stressar muito boa gente…

E fechar com uma citação de Wolfgang Munch:

“Se tentasse testar a segurança de carros ou de brinquedos para crianças usando os mesmo métodos que a União Europeia aplicou no teste de stress aos bancos, acabaria na prisão.”

In Financial Times

Notícia da France24 – German banks ‘did not reveal full debt details’
Notícia do Spiegel – The Triumph of the Financial World’s Lobbyists
Notícia do Oje – Rigor de stress tests questionado
Notícia do The Telegraph – Banks told: lend more or lose bonuses
Notícia do Spiegel – Europe’s Stress-Free Stress Test Fails to Make the Grade
Notícia do Financial Times- A test cynically calibrated to fix the result

No País dos Destresses Maravilha

Novamente o número de notícias é tão avassalador  que não vou colocar aqui os seus títulos…

Para além do champanhe, dos charutos e das festas particulares em alguns iates (suponho), muito há e haverá por dizer destes destresses testes.

Numa primeira análise estes resultados servirão para acalmar os investidores mais pequenos, pois as primeiras reacções das instituições financeiras e a resposta dos mercados não está a ser tão cor-de-rosa como as parangonas estão a querer transparecer, principalmente as parangonas dos jornais portugueses – até faz confusão!
Os meios de informação em Portugal vivem numa ilha – a maior parte deles.

Indicações de que nem tudo são rosas:

* “Os mercados subiram esta sexta feira com a tomada de conhecimento de que falharam menos bancos que os esperados, mas o euro caiu porque os analistas questionam os testes.” in (Reuters)

* “O desenho dos testes causou alguma desconfiança nos mercados. Os supervisores disseram que descontaram o valor da dívida obrigacionista dos estados em posse dos bancos, mas apenas para as obrigações que estavam nas contas de transacção dos bancos. As obrigações que os bancos planeiam manter até ao fim do seu prazo de validade não foram contabilizadas nos testes. Isto abre a possibilidade que um banco que tenha obrigações da Grécia, por exemplo, passe nos testes — e ainda assim sofrer danos irremediáveis no caso de falência da Grécia.” in (CNN)

* No entanto, estes resultados são apenas metade da história. Analistas e investidores nos mercados financeiros estão muito desconfiados com o rigor dos critérios usados nestes testes de stress, para atestar a capacidade dos bancos de conseguir absorver um choque.” in (The Telegraph)

* “Schroders: Testes de stress poderão parecer um «balanço final de escola primária»” in (Jornal de Negócios)

* “Nicolas Véron, disse que o nível de detalhe dos testes era «desapontante»” in (The New York Times)

* “«Indiscutivelmente o que falhou não foram os bancos mas os testes,» disse Richard Cranfield, presidente da Allen & Overy.” in (CNN)

* “Resumindo, o que os testes de stress demonstraram não foi que os bancos europeus estão saudáveis – isso ainda é questionável- mas que os reguladores os vêem como saudáveis…” in (CNN)

* “O total de défice de capital é muito menor do que as melhores estimativas, por isso numa primeira análise isso é positivo, mas teremos de analisar os resultados mais detalhadamente.” Juan Pablo Lopez, BES in (Reuters)

* “Por detrás dos testes iremos encontrar mais volatilidade e fraquezas. (…) não tivemos a transparência que estávamos à espera.” David Morrison, Analista de Mercado, GFT GLOBAL in (Reuters)

* “A primeira reacção é espectável que seja um dólar mais forte, de forma que os mercados se afastarão do euro com base nos testes não terem sido suficientemente rigorosos e porque talvez nem todas as fraquezas no sistema tenham sido reveladas.” Philip Shaw, Economista Sénior, INVESTEC in (Reuters)

* “De momento parece que os bancos estão a ser testados contra um fundo de céu azul, não um cenário de stress. Não são particularmente stressantes.” Joe Dickerson, Analista bancário na BROKERAGE EXECUTION NOBLE, Londres – in (Reuters)

* “Não vejo nada de stress nestes testes. É como enviar os bancos para um fim de semana nas termas. Se os bancos portugueses e espanhóis estiverem a negociar segunda feira em alta, eu estarei pronto para vender.” Stephen Pope, Chefe da GLOBAL EQUITY STRATEGIST, CANTOR FITZERGERALD, Londres – in (Reuters)

etc, etc, etc, etc, etc, etc,… são tantos os comentários dentro deste estilo que dava para ficar aqui até amanhã nisto…

Nos próximos dias iremos ter mais deste desenrolar de opiniões, e para a semana é que se saberá como irão reagir os mercados, mesmo que ache que o Banco Central Europeu não irá deixar cair as bolsas sob pena de deixar condenar os resultados que foram divulgados hoje…

Muito vai haver para falar sobre isto…

Notícia da CNN – Europe’s big banks pass stress tests
Notícia do Financial Times – EU stress tests seem ‘too soft’
Notícia do Deutsche Welle – With one exception, German banks pass financial stress test
Notícia do The Telegraph – UK banks pass stress tests as seven fail in Europe
Notícia do Jornal de Negócios – Schroders: Testes de stress poderão parecer um “balanço final de escola primária”
Notícia do New York Times – Seven Banks in Europe Fail ‘Stress Test’ for Scant Capital
Notícia da CNBC – Stress Tests Show Regulators Won’t Clobber Banks
Notícia do The Guardian – Stress tests leave UK banks unscathed
Notícia da Bloomberg – Seven EU Banks Fail Tests With $4.5 Billion Shortfall
Notícia da Reuters – Seven banks fail Europe’s stress test
Notícia da Reuters – Global stocks gain but euro and gold off after stress tests
Notícia da Reuters – Instant view – Seven banks fail European stress tests

A Caminho do Destress?

Neste post em vez de colocar aqui os títulos das notícias que usei para consubstanciar a minha opinião, porque são imensas, vou fazer uma lista dos seus títulos.
Só a leitura dos títulos que saíram um pouco por todo o lado fornece-nos uma visão de quais as tendências dos sentimentos que os analistas têm em relação aos testes, e quais os bancos que deverão chumbar. Mais logo à tarde teremos mais desenvolvimentos…

* O The Independent escreve: Os stress testes europeus podem simplesmente minar a confiança na banca.
* O Der Spiegel: Os gigantes financeiros europeus estão nervosamente à espera dos resultados dos stress testes.
* ABC:  Hora H para a credibilidade bancária europeia.
* The Business Insider: Rumores apontam para o falhanço de alguns bancos espanhóis.
* CNN: Em busca dos esqueletos do sistema bancário europeu.
* Bloomberg: O sucesso dos testes está na informação, não no número de falhanços.
* Reuters: As estimativas de capitalização para os bancos europeus.
* Forbes: Analistas comparam os stress testes a testes num SPA.
* New York Times: Bancos aguardam os resultados dos testes.
* Diário Económico: Banca nacional passa nos testes de stress.
* CNBC: Que bancos têm a maior probabilidade de falhar nos testes de stress.
* Jornal de Negócios: Permanecem dúvidas sobre resultados de testes de stress dos bancos públicos gregos.

Quero aqui desde logo salientar que até nos títulos, de uma boa parte dos meios de comunicação, a noção é de falta de rigor nos testes. Esta é a primeira nuance que retiro das notícias que antecedem a divulgação dos testes. Gostava de salientar especialmente o título da Bloomberg o qual, a meu ver, melhor expõe os receios dos principais analistas financeiros. De realçar novamente a incapacidade gritante dos meios de comunicação nacionais fazerem chegar às pessoas a totalidade da informação sobre este assunto. Apenas o Jornal de Negócios publica uma notícia em que a “qualidade” dos stress testes é posta em causa, e mesmo assim empurra essa falta de “qualidade”  para a Grécia apenas… enfim… (podemos sempre confiar que eles são isentos)

Mas há muito mais do que apenas títulos de jornais…
Uma das nuances mais importantes que hoje me saltou à vista foi a notícia de que Bruxelas autorizou o alargar do prazo de apoios à banca em Portugal e em Espanha.
Vamos por partes. Primeiro é esperado que uns quantos bancos espanhóis não passem nos testes, portanto até se compreendia essa acção de Bruxelas em relação a Espanha, mas o que terá Portugal a ver com essa medida se nos é dito que todos os bancos passaram nos stress testes?
Um de dois sinais. Ou a informação de nenhum ter falhado está incorrecta, ou então passaram todos mas alguns irão precisar de ser recapitalizados, ou seja, passaram na cosmética mas estão cheios de acne…

Hoje também saiu a estimativa da Goldman Sachs para os stress testes, a qual estima que serão necessários 38 mil milhões de euros para recapitalizar a banca. Até nem são números muito maus (lol), mas para Portugal podem ser números extremamente graves pois mais dinheiro do Zé Povinho terá de ser entregue aos “casineiros”.

Mas a notícia mais importante que saiu hoje (para mim) é a de que a banca suíça irá publicar, a seguir à divulgação dos stress testes, um teste efectuado por ela em que os critérios utilizados são “duas vezes mais rigorosos do que os dos stress europeus“.
É nesta notícia que irei estar mais atento.

Também temos as palavras de Fernando Ulrich à CNBC, onde é quase tudo bonito e não temos culpa nenhuma, etc,etc,… e as palavras de Nick Beecroft, consultor de mercados do banco SAXO, que diz à Reuters:

“Isto foi uma peça de teatro cuidadosamente coreografada” (…) “Aposto que os resultados não serão nada preocupantes” (…) “Não será surpresa se assistirmos ao falhanço por parte do Lendersbank devido ao excesso de investimento que fizeram” (…) “E as Cajas espanholas estão sob pressão” (…) “Umas precisarão de angariar mais dinheiro” (…) “e algumas terão de ser encerradas”.

E as palavras de Udo Steffens, Presidente da Escola de Finanças de Frankfurt, que diz:

“Nenhum país pode permitir que a maioria dos seus bancos falhe nos stress testes. Os nossos bancos são como pontes e estradas, se ruírem o trânsito pára, e isso significaria que a economia também pararia.”

Agora é esperar pelo final do dia e tentar perceber que nuances se tornarão as tendências do futuro…

Vodpod videos no longer available. Vodpod videos no longer available.

Notícia do The Independent – David Prosser: Europe’s stress tests may simply undermine confidence in the banks
Notícia do Der Spiegel – Europe’s Financial Giants Nervous Ahead of Stress Test Release
Notícia da ABC – Crunch Time for Europe’s Banking Credibility
Notícia do Business Insider – Rumors Flying That Some Spanish Banks May Have Failed The Stress Test
Notícia da CNN – Finding Europe’s banking skeletons
Notícia da Bloomberg – Bank Stress Test Success Hinges on Data, Not Failure Count
Notícia da Reuters – Factbox: Capitalization estimates for European banks
Notícia da Reuters – Crunch time for Europe’s banking credibility
Notícia da Forbes – Analyst Decries Bank Stress Tests As SPA Tests
Notícia do Financial Times – Swiss aim to steal EU stress test thunder
Notícia do New York Times – Banks Await Stress Test Results in Europe
Notícia do Diário Económico – Bruxelas autoriza apoios à banca até final do ano
Notícia do Diário Económico – Banca nacional passa nos testes de ‘stress’
Notícia da CNBC – Who Is Likely to Fail Europe’s Bank Stress Tests?
Notícia do Jornal de Negócios – Permanecem dúvidas sobre resultados de testes de stress dos bancos públicos gregos

%d bloggers like this: