Arquivos de sites

Às Contas Com os Números da Banca

Hoje, com base em notícias que fui recolhendo no espaço do último mês, vou fazer as contas às contas dos lucros da banca em 2010, algo que faço regularmente para ajudar todos a entenderem um pouco melhor que crise lá para aqueles lados é apenas uma palavra de circunstância, de retórica, pouco mais que retórica política e publicitária, porque a realidade é esta e bem diferente: (Em euros)

  • Banco BIG — 20,5 milhões
  • Montepio Geral — 37,72 milhões
  • Banco Pastor — 62 milhões
  • Maiores bancos comerciais de Moçambique — 83,7 milhões
  • BPI — 184,8 milhões
  • Caixa Geral de Depósitos — 250,6 milhões de euros
  • BCP — 301,6 milhões
  • Banesto — 460,1 milhões
  • BES — 510,5 milhões
  • Popular — 590 milhões
  • Credit Suisse — 637 milhões de euros
  • Banco Sabadell — 968 milhões
  • La Caixa — 1,3 mil milhões
  • Commerzbank — 1,4 mil milhões
  • Société Générale — 3,92 mil milhões
  • Barclays — 4,23 mil milhões
  • 3 maiores bancos japoneses — 4,5 mil milhões
  • BBVA — 4,606 mil milhões
  • Itau — 5,91 mil milhões
  • BNP Paribas — 7,8 mil milhões
  • Santander — 8,18 mil milhões
  • Maiores bancos russos — 13 mil milhões
  • TOTAL: 58.952,520 milhões de euros!

O lucro de apenas 30 bancos, aproximadamente, no ano de 2010… apenas 30 bancos, sem os americanos e sem milhares que pululam pelo mundo fora!!!
Quem desejar tentar extrapolar este valor para a totalidade do mundo… que o faça… aviso apenas que poderão chegar a um valor total que poderá ser absolutamente irreal para o nosso mundo…

Pessoalmente não conheço outro sector empresarial no mundo que registe lucros tão imensos, e principalmente quando o sector retractado não produz absolutamente nada a não ser dívida para o restante do mundo…
Quer dizer, talvez o mercado de venda de armas e o de droga consigam superar os seus números… talvez…

E o que dizer deste mesmo sector, que se banha em lucros abismais, ser um dos que menos impostos paga no mundo ocidental?(Escrevi “dos que menos impostos paga” e não “o que menos impostos paga” porque o tráfico de droga não paga impostos…)

E o que dizer que nós, os Zé Povinhos, tivemos de salvar este sector da ruína financeira? Mas que ruína financeira qual carapuças! Este sector é ele a ruína financeira do mundo! E enquanto não for tratado como tal, muitas mais ruínas ir-se-ão abater sobre este mundo… e isso é certinho como o destino, a não ser que os Zé Povinhos do mundo deixem de providenciar guarida de silêncio às acções dos bananas que os defendem com unhas e bolsos!

Notícias de Apoio:
Notícia do Jornal de Negócios – Banco BIG aumenta lucros em 66% mas reduz dividendos a metade
Notícia do Expresso – Moçambique: Lucros dos maiores bancos comerciais cresceram 18% para 83,7ME — KPMG
Notícia do Diário Económico – Lucro do Commerzbank excede expectativas
Notícia do Jornal I – Lucro do BNP Paribas sobe 34,5% para 7,8 mil milhões de euros em 2010
Notícia do Pravda – Russian banks earned record profits in 2010
Notícia do Diário Económico – Lucro do Barclays sobe 36% e bate previsões
Notícia do Jornal de Negócios – Lucros do Société Générale crescem quase seis vezes em 2010
Notícia do OJE – Lucro do Banco Pastor cai 38,6% para 62 milhões
Notícia do Jornal de Negócios – Lucros da CGD descem 10% com perdas na bolsa a pressionar (act)
Notícia do Diário Económico – Lucro do Credit Suisse desilude analistas
Notícia do NIKKEI – 3 Megabanks’ Combined Net Profit Rose 150% In April-December
Notícia do Diário Económico – Santander lucra mais de 8 mil milhões em 2010
Notícia do Público – Lucros do BBVA cresceram 9,4 por cento em 2010 para recorde de 4606 milhões de euros
Notícia do Jornal de Negócios – Popular com lucros de 590 milhões em 2010
Notícia do OJE – Lucro do BCP sobe 34% para 301,6 milhões e supera estimativas
Notícia do Sol – Lucro do BES desce 2,2% em 2010
Notícia do Sol – Lucros do BPI sobem 5,6%
Notícia do OJE – Lucro do Banco Sabadell cai 27,3% em 2010 devido a aumento de provisões
Notícia do Diário Económico – Lucros do espanhol La Caixa caíram 13,4% em 2010
Notícia do OJE – Lucro do Banesto cai 17,8% em 2010, para 460,1 milhões
Notícia do Diário Económico – Lucros do Montepio Geral ficam estagnados em 2010
Notícia do Diário de Notícias – Itau regista maior lucro da história do sector bancário

Anúncios

E Tubarões aos Magotes a Meterem a Cabeça de Fora

Presidente do BCP aplaude medidas do governo. Patrões contra a redução dos benefícios fiscais. Bancos retiram clausulas abusivas no crédito à habitação. Bancos vão dar contribuição ao Estado com novo imposto. “Dormi mal, mas se não tomasse as medidas não era capaz de dormir”. “Medidas decididas com um aperto no coração”. Políticos são como o vinho, e de momento não prestam. Europa puxou as orelhas ao governo. Eurogrupo defende mais medidas “ambiciosas”. BCE, Comissão Europeia e Eurogrupo aprovam as orientações do governo. Ministro das Finanças anuncia mais reformas estruturais. Governo espera crescimento de 0,5% para o próximo ano. Economia volta a entrar em recessão já este ano. Economia portuguesa em risco de ficar em recessão até 2012. País mudou de regime com as medidas de ontem

Está lá? Está aí alguém? Hei! Alguém?
Magotes! Magotes deles!

Hoje as “bestas” vieram quase todas à babuje… umas mais tristes(?) e outras muito felizes… são como tubarões que se alimentam das carcaças dos pobres que começam a desvanecer aos magotes…

O primeiro dos tubarões de colarinho branco a mostrar os seus dentes de fome foi o Presidente do BCP, que diz estar muitíssimo feliz com as medidas adoptadas pelo Estado português… tal qual um animal raivoso que caça sempre na sombra e que se alimenta das carcaças dos mais fracos, esta “besta” só poderia estar nas nuvens a gozar um dos dias mais felizes da sua vida. (Isto é um exagero, mas é o que me vai na alma e servirá de tom para todo o artigo)

Carlos Santos Ferreira considera, por isso, que a opção política foi “escolher o menor dos males”, mas já que se assumiu o risco agora há que “manter o rumo, tentar ultrapassar rapidamente esta fase que vai ser uma fase dura para as pessoas e tentar partir para um novo período de crescimento económico e de mais emprego”.

In Dinheiro Digital

Acham normal alguém regozijar-se com o momento que o país está a enfrentar, principalmente quando ele é um dos responsáveis directos por grande parte do que estamos a enfrentar? Acham isso normal? Para mim é apenas o confirmar da anormalidade mental das “bestas”!

E claro, logo hoje, os bancos anunciam a retirada das clausulas abusivas que tinham nos créditos à habitação…
Acham que este timing foi apenas uma coincidência? Se acham que sim… pode ser que um dia achem um pote de ouro no fim do arco-íris.

E o nosso amado e estimado Primeiro-Ministro diz que os bancos também vão dar uma contribuição ao Estado com um novo imposto.
Opá – desculpa-me estar a tratar-te nestes termos – mas nós, o Zé Povinho, já não lhes demos milhares de milhões de euros para os meninos brincarem aos casinos?
Opá, que tal exigir de volta todo o dinheiro que lá foi enfiado e que conduziu (mais depressa) o país até este ponto?
Opá. estou para ver que esse tão afamado futuro imposto – quando todos os outros já aumentaram – irá ainda ter uma clausula que dirá que os meninos bancos, depois de acalmadas as hostes do Zé Povinho, ainda irão ter direito a mais benefícios fiscais… (é apenas o meu dedo mindinho a tilintar)

Ui… e então os patrões que aparecem a nadar na costa a dizer que a redução de benefícios fiscais é uma injustiça.

Associação Empresarial de Portugal, a Associação Industrial Portuguesa e a Confederação da Indústria Portuguesa referem que «não podem concordar com a redução de benefícios fiscais», que, a seu ver, «se justificam enquanto instrumentos de incentivo à competitividade».

In Dinheiro Digital

Mas contem-me lá que incentivos à competitividade foram realmente atingidos por esses benefícios fiscais. Que benefícios temos tido nós, Zé Povinho, de todos os benefícios que foram e são dados à banca? Mais crises financeiras? O aumento de mais impostos para pagar os pacotes de estímulo que estimularam apenas o acelerar em direcção do abismo de Portugal? O quê de positivo têm para mostrar para além de uma folha salarial cada vez mais minguada?
Mas claro, estes também bateram palmas a todas as outras medidas. Porque será?

E temos os nossos políticos “bananas” mais bananas que o normal… Um diz que já mal dormia e o outro que anda com um aperto no coração.
Sabem quem irá ter dificuldades em dormir porque terá de contar os tostões para ver se terá pão até ao fim do mês? Sabem que andará com o coração na mão por ter cada vez menos e ver que os que mais têm continuam a cada vez ter mais? Sabem? O Zé Povinho!
Mário Soares, patriarca da classe dos “bananas” portugueses teve hoje uma tirada que tenho de lhe tirar o chapéu:

“A Europa, infelizmente, está em decadência.”
“Fundamentalmente está por falta de lideranças europeias a sério. Eu penso que os políticos são como os vinhos. Não sabemos porquê. Há boas épocas em que o vinho é esplêndido e outras épocas em que o vinho não presta. Nesta altura nós temos políticos que não prestam.”

In Destak

Qual vinho qual carapuças! Olhem lá bem para baixo da mesa e vejam lá quem anda feliz com tudo isto… vejam bem… vejam bem que mais ganha com tudo isto… vejam bem…
Crise de 2008, pagámos à banca e eles ficaram felizes. Crise de 2009, pagamos nós pelo que pagámos à banca e eles ficam felizes. Há uns que ficam sempre felizes com as desgraças alheias, e são sempre os mesmos… coincidências? Só se for na cochinchina!

Ah!!!… Mas há mais tubarões que se vieram alimentar à babuje…
O Eurogrupo, o BCE e a Comissão Europeia estão felicíssimos da vida porque o Zé Povinho português terá de pagar com a sua fome os desvarios de uma classe de “bananas” e casineiros que andaram a brincar aos monopólios. E ainda… ficamos a saber que deram “tau-tau” ao governo português porque estava a demorar na adopção de tais medidas draconianas contra o Zé Povinho.

Ai soberania, por onde andas tu? Por onde andas Dom Afonsos Henriques? Quem diria que depois de séculos a lutar por uma pátria ela fosse sendo vendida às postas – talvez de cherne – para uns tubarões que apenas de vez em quando mostram os seus dentes… que são sempre os mesmos e facilmente distinguíveis.
Ah!!!… Mas ainda não são suficientes? Diz o Eurogrupo…
Portugal tem ainda de adoptar mais medidas de forma a estimular a competitividade… Outra vez a história da competitividade… competitividade do quê e de quem?
Ah!!!… Baixar ainda mais os salários, reduzir ainda mais os postos de trabalho, exigir flexibilidade horária e de posto de trabalho de forma a que a economia deles seja competitiva e a do Zé Povinho seja cada vez mais um aperitivo para a ânsia de ganância dos tubarões…
Uiiii!!!… O nosso fantasticamente brilhante Ministro das Finanças já ouviu o repto e ainda hoje disse que Portugal vai ter direito a mais reformas estruturais, nomeadamente no mercado de trabalho… Xiiii, ficou com as orelhas quentes e preferiu ter uma boa noite sem insónias do que ter de enfrentar o terror dos tubarões esfomeados…

E qual vai ser o resultado de tudo isto?
A economia vai voltar a entrar em recessão já este ano, talvez até 2012.
Hmmm… Quem mais ganhou com as últimas recessões? Quem ficou feliz com tal cenário? Hmmm…
Upppsss… mas o nosso fantasticamente brilhante Ministro das Finanças diz que Portugal vai crescer 0,5% em 2011… Ai como é bom sonhar com a carochinha, como é bom viver no mundo da cinderela… Poderá alguém dizer a esse senhor que no sistema económico actual um crescimento abaixo de um ponto percentual representa redução da riqueza gerada num país? Isto se a economia crescer(?) 0,5%…
É óbvio que até o maior leigo consegue perceber que o aumento brutal de impostos vai dar raia… uma raia tão grande que daqui a poucos meses estarei de certeza a falar sobre ela… Sabem a raia é um dos poucos peixes com que o tubarão não se mete…

Vou fechar este testamento à decadência do sistema usando palavras do economista Daniel Bessa:

“Portugal “mudou de regime” anteontem à noite com as medidas de austeridade anunciadas pelo Governo e que também acabaram “alguns tabus”.

In Jornal de Notícias

Regime? Com que então mudou de regime?… hmmm…
Não liguem, deve ser apenas a minha mente maléfica a criar um paralelismo com tempos passados, ele está certamente a referir-se a uma dieta…

“Isto foi o fim de um desvario colectivo em que 10 milhões de criaturas pensavam que se podiam endividar à ordem de dois milhões de euros por dia durante 10 anos sem se preocuparem com as consequências”

In Jornal de Notícias

Criaturas? Com que então criaturas? … hmmm…
Não liguem, deve ser a minha mente a lembrar-me das SS alemãs… não liguem…
Mas deixem-me dizer uma coisinha a esta esta “besta”:
Eu não tenho um cêntimo de dívida! Faz bastantes anos que não compro nada a crédito! 10 milhões? Tu talvez estejas enterrado em dívidas de consciência colectiva!

“Estou “aliviado” porque “alguém confessou um grande pecado e está em paz.”

In Jornal de Notícias

Aliviado? Com que então aliviado?… hmmm…
Sabes uma coisa, a maioria não está aliviada nem só um pouquinho… E sabes outra coisa, tu como economista sabes melhor que a maioria quais as verdadeiras causas para o que se está a passar… não apenas aquelas que são fáceis de apontar, as verdadeiras causas!

E é assim tubarões à babuje com Zé Povinho como alimento… há quem se empanturre e há quem vá passar muita fominha apenas para assegurar um sistema económico que já está totalmente desfasado da realidade, que vive num limbo paralelo de especulação e derivados, e alimentar o status quo de uns quantos tubarões que têm mais fome que barriga…

P.S: Peço desculpa pela “violência” imprimida neste artigo, mas por vezes mais vale falar de alma do que fazer cócegas à consciência…

Notícia do Dinheiro Digital – Presidente do BCP aplaude medidas do Governo
Notícia do Público – Bancos retiram cláusulas abusivas no crédito à habitação
Notícia do Dinheiro Digital – OE2011: Patrões contra redução de benefícios fiscais
Notícia do Dinheiro Digital – PM: bancos vão dar «contribuição ao Estado» com novo imposto
Notícia do Jornal de Negócios – Vídeo: “Dormi mal, mas se não tomasse as medidas não era capaz de dormir”
Notícia do Destak – Sócrates: “medidas decididas com um aperto no coração”
Notícia do Destak – Mario Soares diz que os políticos são como o vinho, e de momento não prestam
Notícia do Jornal de Negócios – Eurogrupo defende mais medidas “ambiciosas” para aumentar competitividade de Portugal
Notícia do Jornal de Negócios – BCE, Comissão e Eurogrupo aprovam orientações do Governo
notícia do Diário de Notícias -Europa puxou as orelhas a Portugal e exigiu medidas
Notícia do OJE – Ministro das Finanças assegura reformas estruturais, nomeadamente no mercado de trabalho
Notícia do Diário de Notícias – Economia volta a entrar em recessão já este ano
Notícia do Jornal de Negócios – Austeridade coloca Portugal a caminho da recessão em 2011
Notícia do Diário Económico – Economia portuguesa deve regressar à recessão
Notícia do Jornal de Negócios – Economia portuguesa em risco de ficar em recessão até 2012
Notícia da TSF – Governo espera crescimento de 0,5% para o próximo ano
Notícia do Jornal de Notícias – País mudou de regime com medidas austeras

Soberania, BCP e Grécia

Visto prévio do Orçamento de Estado não é perda de soberania nacional. BCP com rácio de solvabilidade inferior ao definido pelo Comité de Basileia.  Default grego inevitável face à contracção do PIB.

O que é soberania nacional?
Soberania existe quando nenhuma outra instituição está acima do Estado. É tão simples e linear quanto isto…

Portanto podemos afirmar que o presidente do Tribunal de Contas de Portugal é ingénuo, ou pior, é ignorante, ou ainda pior, mente com todos os dentes que tem.

Desde que Portugal entrou para a União Europeia que deixou de ser um país soberano, soberania que tem vindo a ser delapidada ano após ano.
– Está em grande parte legislativamente dependente de “instruções” da União Europeia.
– Já não tem moeda própria.
– Já nem consegue aprovar o seu orçamento sem o aval da União Europeia.

Isto não é soberania, isto é dependência de terceiros nas acções primárias de um Estado que se julga independente.

Pessoalmente acho que a República portuguesa será melhor retratada como: República Federal Portuguesa.

Sabem, uma mentira dita muitas vezes e transmitida continuadamente pela comunicação social transforma-se numa verdade, mesmo quando o conceito em causa – soberania – é tão simples e claro como a água.

Portugal não é um país independente! Chamemos às coisas aquilo que elas são!. É um Estado Federal.

O BCP, para variar, é o banco nacional mais titubeante. Até mesmo quando tem de enfrentar medidas aprovadas pelo Comité de Basileia III, que foram recebidas com aplausos pela generalidade da banca, abana que nem varas verdes.
O BCP faz-me lembrar a Grécia onde está sempre tudo a ser resolvido, que as medidas estão a dar frutos, etc… mas quando aparece um grão de areia no seu caminho parece sempre que choca de frente contra uma parede.
Vai ser pelo BCP que o sistema bancário nacional ainda irá passar as passas do Algarve…

E já que falei da Grécia, nada melhor do que bater palminhas ao Jornal de Negócios, que costuma ser um jornal “traiçoeiro” em determinados temas mais “profundos”.
Hoje, abriu uma rara excepção e colocou num cantinho uma notícia que pode ser importante para quem quer preparar o seu futuro tendo em conta que ele possa vir a ser um pouco pior do que o presente em que vivemos.
Sabem uma coisa, um adulto responsável não “foge” das tendências negativas, adapta parte da sua vida a elas – nem que seja apenas 5%. Os adultos que se comportam tal qual adolescentes querem acreditar piamente que nunca nada irá piorar e que o mundo irá continuar a crescer eternamente, mesmo quando vivem num planeta esférico com limites físicos.
Era bom que o mundo fosse assim tão simples…

Mas chega de psicologia… a notícia, que é o importante, refere-se a um estudo do centro de investigação RMF (Estudo do Dinheiro e das Finanças), onde participa um economista português de seu nome Nuno Teles, que afirma que o default grego parece inevitável perante a contracção do PIB que se tem vindo a registar.

Por norma, o mundo é muito mais simples quando nos dizem que é de difícil contextualização, e muito mais complicado quando nos dizem que branco é branco e preto é preto.

No caso da Grécia e a conclusão deste estudo:
2+2= 4. Ora seja… Se um país tem um buraco financeiro para pagar e se o seu PIB está em queda, significa inevitavelmente que o país está a gerar menos riqueza e menos riqueza significa menos capital, e menos capital significa menos dinheiro angariado através dos impostos, e menos impostos significam menos receita, e menos receita significa menos apoios sociais, e menos apoios sociais significam uma população mais pobre, e uma população mais pobre significa… fome.

Mais especificamente, um país como a Grécia dificilmente irá conseguir saldar as suas dívidas quando enfrenta contracções do PIB (Riqueza – impostos) com a dimensão que temos vindo a assistir. Só um paralelismo: Uma redução no “ordenado” (impostos) torna mais difícil o pagamento da casa… não é verdade?
Ou a União Europeia irá continuar durante décadas a subsidiar a dívida grega, ou então o baralho de cartas que é a economia grega virá por aí abaixo… inevitavelmente… quer dizer, pode ser que o PIB venha miraculosamente a crescer acima dos 8% nos próximos dez anos. (Número que eu considero base para a sustentabilidade miníma da dívida grega)

E Portugal?
Bem… Portugal é a Republica Federal Portuguesa e está totalmente dependente da saúde financeira e dos caminhos legislativos da União Federal Europeia, por isso… o que por lá for decidido será o nosso futuro…

Notícia do Diário Económico – Visto prévio do OE não é perda de soberania para Portugal
Notícia do Jornal de Negócios – BCP aquém das novas exigências de capital
Notícia do Jornal de Negócios – “O “default” grego parece inevitável face a contracção do PIB”

Mais do Roubo da Banca

Bancos alteram contractos de crédito à habitação sem o acordo dos clientes.

BCP, BES e Montepio são os três bancos onde a DECO encontrou modificações nos contractos sem conhecimento dos clientes.

É bom saber que aquelas intermináveis páginas de cláusulas que existem nos contractos de empréstimo à habitação são tão inquestionáveis e sagradas para os bancos.
Será que em caso de incumprimento no pagamento também poderemos adicionar lá uma cláusula que iniba os bancos de qualquer procedimento monetário ou judicial?

A seriedade e confiança que estes senhores nos transmitem é algo digno de registo, talvez algo mesmo só comparável à Madre Teresa de Calcutá…

Para além disto, o importante a retirar daqui são duas conclusões.
– Esta é uma medida concertada, pois quase todos os maiores bancos privados já foram apanhados com a boca na botija. Por onde anda a Autoridade da Concorrência?!
– Todos os novos empréstimos à habitação já virão com a cláusula “maravilha” – Permite aos bancos alterar os juros caso os mercados financeiros o justifiquem.

Não sei se conseguem “visualizar” a extensão de tal clausula. Os bancos poderão passar a invocar sobre todo e qualquer pretexto dos mercados financeiros o aumento das taxas de juro. Por exemplo, assina um contracto com juros a 0,0000000000001% e o banco quando bem entender altera esse valor para o que mais lhe convier, invocando os mercados financeiros, e se o aumento dos juros for de 100%, que seja de 100%. (Este é um exemplo extremo, mas é esta a extensão passível nesta cláusula)

Estes “casineiros” só irão aprender (mesmo que duvide que tenham tal capacidade) quando o Zé Povinho deixar de trabalhar com eles e voltar a guardar o seu dinheiro debaixo do colchão…

Notícia do Jornal de Negócios – Bancos alteram contratos para subirem “spreads” sem acordo dos clientes

BCP Chumba Nos Testes de Stress da JP Morgan (Pós-Stress Testes)

O maior banco privado nacional chumba nos testes de stress da JP Morgan.

Este é mais um dos muitos sinais que irão começar a emergir nos próximos tempos (digo eu) em relação à verdadeira fiabilidade dos testes de Stress.

Já ficámos a saber que os números apresentados pela banca alemã estão a ser contestados: no post: Agora Começa a Surgir o Stress ao Destress, e agora?

Será que isto é apenas mais um rumor sobre o BCP?
Não foi a banca nacional que passou com nota elevada nos testes de stress?
Não é a banca nacional extremamente sólida?

Aos poucos estas “mentiras” irão perder força e teremos de assumir que o stress testes aos bancos europeus foi uma charada. (Charada foi a primeira adjectivação negativa que encontrei sobre o stress testes, meses antes da sua realização, como expus no post: Stress Test ou um Teste ao Stress?)

Neste teste, todos os bancos nacionais ficariam com um rácio muito mais baixo, para além do chumbo do BCP…

Este é apenas mais uma acha para a fogueira em que se vai queimando o BCP, onde ao contrário das parangonas que vão inundando os jornais os seus resultados continuam a não augurar nada de bom…

Infelizmente as notícias cor-de-rosa fazem primeira página (só as sobre o que envolve Portugal… e mais outras coisitas) e estas têm apenas direito a um cantinho recôndito…

Edit: É impressionante como o BCP chumbou na maioria dos testes independentes e acabou por passar com nota “excelente” nos testes de stress na Europa. Só isto por si é suficiente para questionar a validade e qualidade dos stress testes, para além, do mais importante, a situação financeira do banco.

Notícia do Jornal de Negócios – BCP chumba nos testes de stress do JPMorgan

O Stress é Amanhã… ou Talvez Não?

Bancos sofrem corte no rating mas passam nos stress testes. Ricardo Salgado, Presidente do BES, diz que o BES deverá passar nos Stress testes elogiando a banca a criticando as agências de notação, e diz ainda que o BCP não é problema para o sistema bancário português. Presidente da Republica diz que os bancos irão passar nos stress testes. FMI pede mais transparência nos stress testes. Fitch corta rating a cinco bancos portugueses.

Com o aproximar do dia de amanhã, dia em que serão revelados os resultados dos stress testes – dizem eles, atenção que isso é o que nos querem fazer crer. Amanhã prevejo que seja apenas um pró-forma genérico dos resultados dos testes, onde talvez nem os nomes dos bancos que não tenham passado venham a ser revelados. Faz amanhã precisamente dez dias que saiu a data aproximada para quando a revelação dos verdadeiros resultados dos stress testes:

Os resultados dos testes de “stress” aos bancos europeus, entre os quais a CGD, o BCP, o BES e o BPI, serão publicados a 23 de Julho, mas a informação detalhada sobre os mesmos só será conhecida em Agosto.

in Jornal de Negócios, dia 13/07/2010
Como sempre, os segredos estão nos detalhes…

Vou usar palavras de João Vieira Pereira, director adjunto do jornal Expresso, numa entrevista à SIC Notícias, para demonstrar qual o tom e tipo de retórica que está a ser usada pelos meios de comunicação, políticos e responsáveis da banca nacionais:

“Existem razões para não estarmos preocupados.” (…) “Está toda a gente muito confiante com os quatro bancos que estão sujeitos a estes testes.” (…) “Existe alguma confiança para dizer que todos irão passar nestes testes.” (…) “São coisas completamente diferentes (corte do rating dos bancos), não podemos comparar uma coisa com a outra.”

Agora vou contrapor com aquilo que o FMI, que para mim é “o braço armado da banca”, disse ontem sobre os stress testes europeus, palavras que seguem a mesma linha de raciocínio de muitas outras que têm sido proferidas nas últimas semanas:

“A Europa tem de assegurar que os stress testes são transparentes para garantir a sua credibilidade.” (…) “É provável que se mantenha alguma incerteza sobre o rigor dos testes.” (…) “Alguns analistas têm criticado a falta de informação sobre os cenários que estão a ser testados, alimentando especulações de que estão a ser manipulados de forma a produzirem um resultado favorável.”

Temos aqui uma séria e vincada divergência de palavras, postura e opiniões. Espero que nenhuma destas palavras do FMI, e de outros analistas, se venham a revelar verdade, pois será mau para todo o mundo.
De entre mentirosos escolher o que menos mente é um exercício muito complicado…

É também de salientar as palavras de apoio de Ricardo Salgado ao BCP, a “inocência” do Presidente da República e a sua equidistância, e a revisão em baixa dos ratings do BCP, BPI, BES e Banif pela Fitch.

Gostava de fechar este post relembrando que os verdadeiros resultados dos stress testes só serão divulgados em Agosto, por isso muita atenção ao que será dito nos próximos dias – não em relação à parte cor-de-rosa das afirmações mas às nuances que poderão começar a mostrar o que de “verdadeiro” estará por revelar.
Gostava de mencionar que uma vez mais a informação das dúvidas do FMI em relação aos stress testes só foi mencionada numa publicação em solo nacional… Manipulação, controlo de informação, jogo de interesses?… Existem muitos adjectivos que poderão ser usados para adjectivar este tipo de conduta, pessoalmente prefiro chamar-lhe apenas e só: Corrupção…

Vodpod videos no longer available.

Notícia do Diário Económico – Salgado elogia testes à banca e critica agências de ‘rating’

Notícia do Público – Bancos sofrem corte nos ratings mas passam testes de stress europeus

Notícia do Jornal de Negócios – A banca, a PT e o País: Ricardo Salgado na “Hora H”

Notícia do Jornal de Negócios – “BCP não é um problema para o sistema financeiro português”

Notícia do Jornal de Negócios – FMI pede mais transparência nos testes de stress

Notícia do Washington Post – IMF: Europe’s still in the dumps

Notícia do Expresso – Fitch corta rating a cinco bancos portugueses

Notícia do Financial Times – IMF calls for more ‘stress-test’ openness

Notícia do Jornal de Negócios – Detalhes dos testes de “stress” à banca só serão conhecidos em Agosto

Notícia do Diário Económico – Cavaco diz não ter “nenhuma informação” sobre resultados negativos dos bancos

%d bloggers like this: