Arquivos de sites

Um Mundo pintado a Números

A bomba relógio do desemprego entre os jovens. O porquê da importância da inflação no preço dos alimentos. Especialistas debatem os limites da aquacultura. Governos começam a dar aos seus cidadãos alimentos de graça. Apostas que o petróleo irá chegar aos 250 dólares, por causa dos riscos no canal do Suez. Arábia Saudita não consegue aumentar a produção de modo a controlar os preços no mercado. A teoria dominó e o síndroma saudita.

Os jovens…futuro das sociedades deste mundo… estão cada vez mais perdidos num mundo que está em provável contracção, mesmo que os números económicos queiram expressar exactamente o contrário.
Na Tunísia, no Egipto, em Portugal, na Europa, no mundo ocidental desenvolvido, são os jovens que mais estão a ficar desprotegidos, desamparados, desempregados… isolados… engolidos por uma onda de crescimento (numerário) económico desenfreado, desequilibrado e desprendido dos valores sociais.
Uma “monumental” peça jornalística da Bloomberg explica-nos de forma mais aprofundada esse crescente problema:

Os Hititas (tunisinos) e os Shabab (egípcios) têm irmãos e irmãs espalhados por todo o globo. Na Grã-Bretanha, são chamados de NEETs (Jovens que estão fora do sistema de educação, dos cursos profissionais, ou desempregados). No Japão, são os chamados “freeters” – uma amálgama da palavra inglesa freelancer e da palavra alemã, Arbeitr, ou trabalhador. Os espanhóis chamam-lhes os “mileuristas”, palavra que retracta os jovens que ganham menos de mil euros por mês. Nos Estados Unidos, são os “jovens boomerang”, jovens que terminaram a universidade e voltam para casa dos pais por não conseguirem encontrar trabalho. Até numa China em rápido crescimento, onde a falta de mão de obra é mais comum que o excesso de oferta, tem a sua “tribo-de-formigas”, jovens recentemente graduados que vão viver em grupos para apartamentos baratos nas franjas das grandes cidades por não conseguirem encontrar empregos suficientemente bem remunerados.
In Bloomberg

Isto devia servir de mensagem de alerta para todos os bananas deste mundo… mas não, o numerário económico, o excedente que a banca gere, a dívida para gerar mais crescimento, são invariavelmente preferidas ao abordar deste problema… e isto poderá vir a ter custos muito mais elevados do que os gerados por uma contracção do numerário (por vezes fictício) impulsionada pela contracção do crescimento…

A fissura entre os jovens e os que já não são jovens está a alargar-se. O antigo Primeiro Ministro italiano Giuliano Amato disse ao Corriere della Sera: “As gerações passadas consumiram o futuro das mais jovens”. Na Grã-Bretanha, o Ministro do Trabalho, Chris Grayling, comparou o desemprego crónico a uma “bomba relógio”. A. Jeffrey A. Joerres, chefe executivo da Manpower (MAN), uma companhia de trabalho temporário com escritórios em 82 países, acrescenta: “o desemprego nos jovens irá claramente ser uma epidemia na próxima década, a não ser que o abordemos já no imediato. Não se pode fechar os olhos a isto.”
In Bloomberg

Alguém vê por aí alguém (bananas, instituições internacionais, etc.) a abordar este problema de forma capaz… até mesmo ao de leve?
Eu não! O que vejo são os números… os números da economia a serem abordados de forma quase insana perante a realidade de um mundo que não se contabiliza nas folhas de cálculo de uns quantos economistas viciados no 1, no 2, no 3, na escala dos números, nos números que reflectem mais o mundo dos “eles” do que o verdadeiro mundo de todos nós:

No ano passado a ILO encontrou uma réstia de esperança. Depois de analisar os dados de 56 países, os investigadores estimaram que o número de desempregados entre os 15 e os 24 anos, em 2010, tinha regredido nessas nações, em quase 2 milhões, para menos de 78 milhões. “Inicialmente pensámos ser um bom sinal”, disse Steven Kapsos, economista da ILO. “Parecia que os jovens estavam a conseguir penetrar no mercado de trabalho. Mas depois apercebemo-nos que era o número de trabalhadores em busca de um emprego que estava a declinar. Os jovens estavam a desistir.”
In Bloomberg

Estará este sistema económico a criar párias? Revolucionários? Ladrões e criminosos? Pobres?
Talvez um pouco de tudo… jovens destruídos pela incapacidade de um sistema que se baseia nos números e que se afasta cada vez mais da realidade do real.

E se juntarmos esse cocktail potencialmente explosivo de jovens à deriva com a inflação dos preços do alimentos que está a ocorrer  por todo o mundo, inflação que na sua génese está intimamente ligada aos pacotes de estímulo que foram injectados um pouco por todo o mundo desenvolvido e não só?

Dos dados da inflação são excluídos os preços voláteis dos alimentos e da energia numa tentativa de pintar um quadro mais real a longo prazo. É por isso que Bernanke pode dizer que a inflação continua quase silenciosa. Se retirarmos os preços dos alimentos e dos combustíveis, a inflação é realmente baixa.
Mas até alguns dos economistas “bullish” já não estão a ir na cantiga, como Ed Yardeni, presidente da Yardeny Research. Está a começar a ficar preocupado que Bernanke possa, com o QE2, ter libertado a besta da inflação pelo mundo.
In Daily Finance

Pois é, num mundo pintado e gerido a números, pelas classes banananeiras e casineiras, quase nada mais lógico existirá para eles que criar novos algoritmos que os ajudem a pintar no tom desejado o mundo em que todos nós vivemos, de modo a que o mundo dos “eles”, distante e ilusório para a grande maioria, possa continuar a crescer no papel.
Quem em seu perfeito juízo pode retirar das contas da inflação os alimentos e os combustíveis? Quem se não os doidos, ou os mentirosos?
Eu próprio respondo à minha pergunta: Os bananas e os casineiros!

E como o verdadeiro mundo não se rege pelos números artísticos de uma classe que vive num número próprio, eis que parte dessa classe, a medo depois dos recentes desenvolvimentos e revoluções na Tunísia, no Egipto, etc., resolve começar a doar alimentos à população de modo a tentar controlar possíveis sublevações sociais nos seus feudos. Os mesmo que arriscam a real realidade do mundo numa folha contabilística desvirtuada, apresentam-se a partir de agora como os bons… amigos…

O Ministro do Comércio e Indústria embarcou esta terça-feira numa campanha de distribuição e oferta de provisionamentos alimentares a todos os cidadãos elegíveis para os receber, como parte de uma oferta do Amir HH para o público do Kuwait.
In Arab Times

Hmmm… que mãos abertas… hmmm…
E para quem estiver menos atento e pensar que isto está a acontecer apenas nos países do Médio Oriente, relembro que 15% da população americana recebe do Estado cheques mensais para se conseguir alimentar … 15%!!!!!

Enquanto isso, o mundo das ciências, e as suas constantes evoluções e soluções para quase todos os males que o apoquentam, líderes numa acção maioritariamente benéfica a nível social mas igualmente enganadora, vão também constantemente chocando de frente com os limites físicos de um planeta que não se coaduna com soluções finais e totais.
A aquacultura, método apontado como salvador dos bancos de pesca do mundo, está a chocar de frente com os seus limites:

“Vamo-nos deparar com cada vez mais constrangimentos em termos de espaço disponível, de acessibilidade à água  – principalmente água doce – e também com os impactos ambientais e no fornecimento de rações”, disse o Sr. Cochrane.
In The New York Times

Eis que passadas umas décadas depois de ter sido anunciada como a solução final para os problemas de excesso de exploração dos bancos de pesca do mundo, este mesmo mundo tem de chegar à conclusão que as soluções salvadoras finais não podem\devem ser vistas e analisadas como tal, sob pena de serem quase sempre apenas um engano. O mundo e o Homem são limitados… ilimitados são apenas os sonhos do Homem.
Portanto, para além das “brincadeiras” com os números que estão a levar os preços dos alimentos até ao inacessível a uma boa parte deste mundo, também temos de começar a analisar profundamente que não irão ser apenas os cereais, as frutas, as verduras e a carne que irão aumentar exponencialmente de preço.
É só boas notícias…

E para adicionar um pouco mais de sal a tudo isto, ficamos a saber que há casineiros a apostar que o petróleo irá em breve custar 250 dólares por barril. 250 dólares por barril!!!! Se os “eles” estão a apostar que o barril irá a estar a 250 dólares é porque na mente deles o preço tenderá, muito provavelmente, a passar largamente esse valor:

Os investidores subiram as apostas de que o preço do petróleo poderá chegar aos 250 dólares o barril, preocupados que a revolta no Egipto possa interromper o tráfego marítimo no canal do Suez e alastrar-se até à Arábia Saudita.
In Bloomberg

Quando li isto pensei: “custa-me a acreditar que seja apenas por causa do enunciado nesta notícia… 250 dólares é 150% a mais que o preço actual… é demasiado… e até os casineiros são minimamente sãos das ideias…
E eis que hoje surge algo que me parece bem mais real, para reflectir essas apostas, do que os problemas no canal do Suez:

A revelação do conteúdo de um telegrama liberado pelo Wikileaks urge Washington a levar seriamente em conta um aviso de um executivo petrolífero do governo saudita de que as reservas do reino podem ter sido exageradamente estimadas em mais de aproximadamente 300 mil milhões de barris – quase 40%.
In The Guardian

Bomba!!!! Se as reservas na Arábia forem menos 40% do que ao proclamado, detendo a Arábia as maiores reservas do mundo e sendo o maior produtor e exportador mundial, então este mundo poderá ter menos de 1\5 de todo o petróleo que julga ainda existir por explorar.
Talvez esta informação nos ajude a compreender muitos dos porquês de tantas das coisas que estão a acontecer fora das páginas contabilísticas do mundo dos “eles”. Quase tudo o que temos passado nos últimos tempos, sejam preços, bancos, petróleo, revoluções, dívida, quase tudo poderá não mais ser do que o mundo real a responder à falta do sangue que faz mover este sistema das coisas que nos (des)governa…

E levando tal cenário de menos 40% de reservas em consideração, o que poderemos esperar daqui para a frente?
Guerras? Revoluções? Fome? Colapsos? O quê?
Já assistimos a revoluções, já estamos acostumados a ver a fome, já vimos colapsos… aquilo que ainda não vimos, e que nos conta a História acontecer quase sempre em épocas de contracção, foram as guerras, ou guerra:

Obrigado, Chairman Bernanke, por alegremente ter derrubado o dominó de Eisenhower através de uma estúpida e míope negação dos impactos da sua política monetária no preço global dos alimentos e das energias. Obrigado por assumir o lixo do “hedonismo” que distorce os números da inflação, que também o defende por enviar para a rua desempregados quase esfomeados em áreas altamente instáveis do mundo.
No final do dia, Sr. Bernanke, o único grupo que talvez lhe vá agradecer poderá muito bem ser o complexo industrial militar americano… isto assumindo que a máquina de guerra não irá gripar por falta de petróleo.
In Taipan Daily

Conclusão:
Jovens sem tino nem destino, números de um papel escrito por quem os números são deuses… inflação que é bandeira que corrói e ao mesmo tempo defende os deuses dos números… números que são cada vez menos animadores para os grandes desenvolvimentos em forma de solução total desenvolvidos pelo Homem… os “eles” que de nós quase apenas têm só medo, já dão comida de graça para na graça do Zé Povinho voltarem a cair… e dos números para quem os números são deuses, ficamos a saber que o número para o futuro da nossa vida é imensamente inferior ao proclamado… número que na sua essência poderá mais não ser do que mais um algoriticamente embelezado de modo a pintar o nosso mundo num tom mais suave…
E no final?
No final a História é invariavelmente madrasta com os números… num mundo pintado a ilusões…  só nascem, por norma, desilusões…

Notícia da Bloomberg – The Youth Unemployment Bomb
Notícia do Daily Finance – Why Global Food Price Inflation Really Matters
Notícia do Arab Times – Govt starts giving citizens free food
Notícia do The New York Times – Experts Debate Limits of Fish Farming
Notícia da Bloomberg – Bets on $250 Oil Rise as Traders See Saudi, Suez Risk
Notícia do The Guardian – WikiLeaks cables: Saudi Arabia cannot pump enough oil to keep a lid on prices
Notícia do Taipan Daily – Domino Theory and Saudi Arabia Syndrome

Anúncios

Como se Não Houvesse o Outro Lado

Coreia do Sul vai realizar um exercício com fogo real na ilha bombardeada. Coreia do Norte ameaça atacar o Sul se o exercício for em frente. Coreia do Norte avisa que a guerra com o Sul será nuclear. Rússia pede à Coreia do Sul para cancelar o exercício.

Hoje não vou escrever sobre a economia nem sobre Portugal, vou escrever sobre as Coreias e as lógicas ilógicas de um mundo que funciona de forma espasmódico e desequilibrado, para não dizer desonesto.

No dia 13 de Novembro foi-nos relatado, pelos nossos meios de informação para as massas, que a Coreia do Norte tinha bombardeado a ilha sul-coreana de Yeonpyeong.
Do outro lado da barricada dos meios de informação para as massas, mais concretamente do leste europeu, foi-nos dito que a Coreia do Norte respondeu a disparos provenientes de um exercício sul-coreano na ilha da discórdia.
Seja qual for o lado de verdade nesta história, existe algo que é mais importante do que saber quem tem culpa ou razão neste imbróglio… o bom senso internacional.

Logo a seguir à crise na ilha da discórdia, os Estado Unidos e a Coreia do Sul agendaram um (novo?) exercício militar para a ilha agora fantasma, a começar este sábado dia 17 de Dezembro.

Agora o bom senso, mais concretamente a falta dele…
1- Hoje chegaram à Coreia do Sul políticos americanos de modo a tentar aliviar a tensão nas Coreias.
2- A Coreia do Norte ameaça com retaliação se o exercício for avante.
3- A Coreia do Norte diz que a acontecer uma guerra, esta será nuclear.
Enquanto isso, a Rússia pede para que o exercício conjunto entre o Sul e os Estados Unidos seja cancelado.

Ponto 1. Não serão os políticos a aliviar a tensão mas sim o cancelar do exercício… Estas medidas para encher o olho, o ouvido e as linhas dos meios de comunicação, não servem para mais nada do que fazer festinhas na mente dos Zé Povinhos do mundo.
Ponto 2. O Norte sente-se provocado e infelizmente, dentro da conduta mentecapta das mentes bélicas, o ataque em resposta a provocações poderá ser o melhor caminho…
Ponto 3. A ameaça em formato de desespero pode transformar algo evitável num sinuoso caminho sem retorno e no escalar de algo que poderá colocar o mundo às portas da 3ª Guerra Mundial. Nunca esquecer que a China é mesmo ali ao lado…

Disto tudo sobressai – para mim – o silêncio quase ensurdecedor de uma comunidade internacional ocidental espasmódica, desequilibrada, inconstante e incoerente.
Gostava de deixar esta pergunta no ar.
Se fosse a Coreia do Norte a realizar um exercício com munições real junto à ilha da discórdia, de que forma estaria agora a reagir a comunidade internacional ocidental?
Eu sei… com criticas violentas, com ameaças veladas, com as Nações Unidas a cair-lhes em cima com sanções e julgamentos.
Qual a diferença entre um exercício militar realizado pelo Sul com os Estados Unidos que poderá ter o condão de fazer explodir o barril de pólvora e um realizado pelo Norte?
O silêncio… o apoio tácito de um mundo ocidental que tem dois pesos e duas medidas… um mundo ocidental que cava um fosso cada vez maior entre o seu mundo e o mundo daqueles que não fazem parte dele.
Onde estão as criticas do mundo ocidental a este exercício?
Onde estão as sanções das Nações Unidas a estes países que fazem tanto como o outro para o escalar das tensões?
Onde estão????

Vivemos no ocidente e ganhámos a mania de que todos têm de seguir o que é ditado por esta parte do mundo. Conta-nos a História que sempre que uma parte tenta subjugar outra, a outra acaba invariavelmente por se revoltar contra a prepotência, a injustiça e a falsidade da primeira.
A outra parte deste vez são (principalmente): Coreia do Norte, Irão, China e Rússia. (Quatro potências nucleares)

Conclusão:
Nós cá deste lado somos demasiado bons, pelos relatos dos nossos meios de informação, e aos olhos do outro lado injustificadamente incoerentes e prepotentes… deste lado este mundo pode fazer aquilo que censura ao outro… deste lado vivem quase todas as instituições internacionais que são silenciosas quando convém a este lado e ruidosas para criticar e subjugar o outro… deste lado o mundo é democracia, mesmo quando anda cada vez mais moribunda, e do outro a tirania, o despotismo e a insanidade… deste lado somos todos bons e do outro todos maus… deste lado… vivemos como se não houvesse também o outro lado… esta imagem é mais uma imagem dos “eles” e dos “nós”, cada vez mais distantes e a viver em mundos cada vez mais paralelos e mais distintos… é um mundo dos “eles” do qual nós não conseguimos escapar…

Noticia do The Guardian – South Korea to start live-fire drill on shelled island
Notícia da Reuters – Coreia do Norte ameaça atacar Sul se mantiver exercício militar
Notícia do Breitbart – N.Korea says war with South would go nuclear
Notícia da Reuters – Russia calls on South Korea to halt military drill
Notícias de Apoio:
Notícia do Pravda – Media seriously missing something from the Korea equation
Notícia do Correio da Manhã – Coreia do Norte bombardeia ilha
Notícia do Expresso – Seul e Washington preparam mais manobras militares conjuntas
Notícia do Buenos Aires Herald – North Korea says South’s drills ‘provocative’
Noticia do Belfast Telegraph – Workers recalled as North Korea prepares for war

Com os “Timings” Perfeitos (Actualizado)

Armas nucleares tácticas: a nova doutrina da NATO. A Coreia do Norte tem uma incrível nova instalação nuclear. NATO «condena fortemente» bombardeamento de ilha sul-coreana. Seul está a considerar voltar a ter armas nucleares americanas. Porta-aviões americano a caminho das águas coreanas. Coreia do Sul e Estados Unidos realizam exercício conjunto sob a ameaça de mísseis norte-coreanos. Coreia do Norte posiciona mísseis terra-ar SA-2 junto à fronteira com o Mar Amarelo. China avisa os Estados Unidos em relação ao recrudescer da tensão nas Coreias. Os média estão a deixar escapar algo verdadeiramente importante na equação das Coreias.

Estava eu a seguir atentamente a cimeira da NATO realizada em Lisboa, principalmente a definição da nova doutrina de defesa colectiva com o regredir (oficial) em direcção ao armamento nuclear, quando para surpresa minha – quer dizer, surpresa não foi – sai, nos meios de informação generalistas, a extraordinária coincidência, ou seja, com um “timing” perfeito, que na Coreia do Norte tinha sido descoberta uma nova instalação nuclear de tecnologia de ponta, algo que o Ocidente pensava ser impensável existir lá por aquelas bandas.
Lembro-me de na altura ter pensado:
“Estes «timings», estas coincidências no tempo são mesmo certeiras!”
E dei mais uns passos nesse pensamento, aventando:
“Agora só falta uma guerra para justificar com mais solidez o escudo estupidomíssil!”

Voltando à descoberta da nova instalação nuclear norte-coreana:

“O cientista, Siegfried Hecker, disse num relatório apresentado no Domingo passado (dia 14), que na sua última visita ao complexo industrial norte-coreano de Yongbyon foi conduzido até a uma pequena instalação de enriquecimento de urânio. Tinha 2 mil centrifugadoras operacionais, e o Norte disse-lhe que estava a enriquecer urânio para um novo reactor nuclear.”

In Associated Press

Vamos por partes que esta notícia é das coisas mais ridículas que já li na minha vida…
(Actualização – Erro no dia da semana, corrigido) Primeiro, o “Domingo passado” é a semana anterior à publicação desta notícia!
– Deve ser o primeiro segredo militar a ser revelado quase sem verificar a sua veracidade, pois uma “semanita” é coisa pouca quando se brinca com coisas sérias, mal dando tempo ao Pentágono de se certificar que a informação era correcta, ou será que desejava verificar?! (Brincamos?)
Um pouco mais de seriedade nisto tudo não faria mal nenhum… é mais que óbvio que o “timing” foi cuidadosamente escolhido para acertar em cheio na cimeira da nata da NATO…

Depois, o Sr. cientista foi conduzido até às instalações nucleares do Norte?
– Mas que raio, não é o Norte tão hermético que não deixa ninguém entrar no país? Como pode alguém, principalmente alguém que iria revelar desbocadamente os seus segredos, ter acesso às suas áreas mais sensíveis e com uma visita guiada?
Esta notícia é apenas e só incongruências e coisas estranhas, a única coisa que não é estranha foi o seu “timing”…. digo eu… pois para além de me parecer uma notícia “plantada”, porque esta coisa do Norte realizar visitas guiadas de ocidentais às suas instalações nucleares vai contra tudo o que ouvimos falar deles, é obviamente perfeita para justificar o escudo estupidomíssil – digo eu.

E “prontos”, quando terminou a cimeira da NATO, logo na altura fiquei de escrever sobre esta estranha notícia, mas fiquei com a sensação que ela poderia ser o “desenho” inicial de algo mais que estaria por chegar, por isso guardei-a à espera do dia… dia esse que foi mais rápido do que esperava… dia 23! Mais um “timing” perfeito?
Serão os norte-coreanos tão estúpidos – digo eu – ao ponto depois de revelado um dos seus maiores segredos (só pode ser) atacarem logo o Sul? Estarão assim tão desesperados? Talvez quem sabe, mas talvez quem sabe não seja apenas na sua essência uma nova Baía dos Porcos… quem sabe…
Os “timings” são perfeitos demais, digo eu…

No próprio dia a NATO condenou fortemente o ataque…
seguindo…

Dia 22. A Coreia do Sul diz estar a repensar a sua estratégia em relação às armas nucleares tácticas, estando a reflectir se irá voltar a pedir aos Estados Unidos o reposicionamento no seu território de armas nucleares apontadas ao Norte, como resposta à descoberta (?) da sofisticada instalação nuclear norte-coreana.
Todos estas notícias e os seus “timings” são exactamente aquilo que é necessário para a NATO justificar a existência de um escudo estupidomíssil… “timings” e coincidências temporais a mais – digo eu.

Dia 24. Já temos um porta-aviões americano (nuclear) a caminho das águas coreanas… (Há quem diga que já lá estava…)

Dia 26. A China avisa o Estados Unidos que a coisa está feia e que não está a achar graça nenhuma que, logo neste momento de alta tensão, os americanos e os sul-coreanos realizem exercícios militares conjuntos no dia 28. (Há quem diga que já estavam a ser conduzidos…)

Dia 28 (hoje). Iniciam-se os exercícios militares conjuntos e o Norte posiciona mísseis terra-ar junto à fronteira com o Mar Amarelo (China e Coreia do Sul)).

Agora, a história contada do outro lado da barreira, a versão não ocidental da história:
É-nos dito que no dia 22, os Estados Unidos e a Coreia do Sul iniciaram um exercício militar conjunto com munições reais junto à ilha da discórdia, que duraria oito dias até ao dia 30… coincidências?
É-nos dito que foram disparados dúzias de obuses que penetraram nas águas do território do Norte.
E:

“Subsistem poucas dúvidas que este incidente foi orquestrado de forma a garantir novamente a aceitação por parte da Coreia do Sul do “chapéu de chuva” nuclear americano. Assim como o recente afundamento de um navio sul-coreano pode ser apontado ao desejo de Okinawa aprovar a continuação das bases americanas no seu solo. Forneceu aos Estados Unidos o que necessitava para superar todas as objecções.”

In Pravda

E se esta for a verdade desta história?
Baia dos Porcos parte 2?
Atenção que o mundo gira, gira, gira, mas as mentes dos homens permanecem imutáveis… e a História é cíclica e recorrente…

Tudo este desenrolar de acontecimentos, de “timings”, de coincidências, abre espaço à especulação e irá ser alimento para teorias da constipação, mas existe algo que é inacreditavelmente recorrente… os seus “timings”… e mais “timings” virão, pois depois da aprovação do “chapéu de chuva” nuclear, o vulgarmente chamado escudo estupidomíssil, os posicionamentos estratégicos das (execráveis) mentes bélicas irá ser fundamento recorrente…
Bons “timings” para todos…

Notícia do The Guardian – Nato’s tactical nuclear weapons: the new doctrine
Notícia da Associated Press – Scientist: NKorea has ‘stunning’ new nuke facility
Notícia da TVI24 – NATO «condena fortemente» bombardeamento de ilha sul-coreana
Notícia do China Daily – Seoul may consider bringing back US nuke arms
Notícia da Bloomberg – U.S. aircraft carrier heads for Korean waters
Notícia do The Korean Herald – S. Korea, U.S. conduct joint drill amid NK’s threats of rockets
Notícia da Yonhap News Agency – N. Korea deploys SA-2 surface-to-air missiles near Yellow Sea border
Notícia do The Wall Street Journal – China Warns U.S. as Korea Tensions Rise
Notícia do Pravda – Media seriously missing something from the Korea equation

O Mundo Pela Mente dos Carniceiros

Israel tem oito dias para atacar  central nuclear iraniana. Bolton afirma que Israel tem apenas três dias para bombardear a central Bushehr. Coreia do Norte sobrevoou com um avião não pilotado uma área sensível junto à fronteira com o Sul. Irão irá para a semana revelar novos armamentos. China e Estados Unidos andam no alto mar a brincar a um jogo perigoso.

John R. Bolton, antigo representante americano nas Nações Unidas diz que Israel já tem pouco tempo para atacar a central nuclear iraniana.
A voz deste Sr. é apenas mais uma para juntar ao rol dos doidos maníacos que se empanturram com o sangue alheio.

Esta mesma personagem “macabra” já teve umas quantas tiradas que definem bem o seu carácter:

“O Iraque, não obstante as sanções das Nações Unidas, mantém um programa agressivo de reconstrução das suas infra-estruturas nucleares, químicas, biológicas e balísticas.”

“Pouco valor terá a diplomacia se não servir os interesses dos Estados Unidos.”

“Não existe tal coisa de «Nações Unidas». Se do edifício das Nações Unidas em Nova Iorque fossem retirados dez andares, nem se notaria a diferença.”

Um verdadeiro demo-crata, sem dúvida. Mentiroso, interesseiro e nacionalista extremado.

O problema não é o que esta personagem disse e diz, o problema é que esta personagem é influente e é ouvida por muitos dos seus comparsas carniceiros.
À imagem de muitos outros bons exemplos de personagens políticas influentes em Washington, esta defende com unhas e dentes um ataque ao Irão.

Já todos sabemos que brincar com o fogo pode queimar, mas como estas personagens ficam no seu bunker a jogar às cartas e a beber suminhos de maracujá enquanto outros vão para o campo de batalha dar tiros por eles, pouco ou nada sabem o que quer realmente dizer a frase “bom senso”… talvez para eles bom senso seja apenas mais numerário na sua conta privada…

Até quando irá continuar este jogo do rato e do gato?
Quando irão estas personagens conseguir brincar ao seu jogo preferido (Guerra) às custas de vidas inocentes?

Enquanto isso, as contra-personagens do outro lado (Irão), que são verdadeiras fotocópias da personagem americana aqui apresentada, que apenas divergem na cor do traje que trajam, dizem ir revelar para a semana os novos armamentos que desenvolveram… mísseis e afins…

P.S: É de leitura importante as notícias originais, porque nem sequer quis dar-lhes valor expondo aqui o que por lá é dito. Tenho vergonha de fazer parte da mesma raça, Homem, destes senhores…

Para além disto, a Coreia do Norte anda a brincar aos aviões não tripulados junto à fronteira com o Sul, ao mesmo tempo em que estes brincam aos exércitos em conjunto com os Estados Unidos.
Do outro lado a China continua a fazer crescer o seu poderio militar…

E é assim… parte do mundo em que vivemos é feito de asquerosos mentais e vampiros carniceiros…

Notícia do Jerusalem Post – ‘Obama won’t hit Iranian reactor’
Notícia da Associated Press – Bolton: Israel tem oito dias para atacar a nova central nuclear iraniana
Notícia da Associated Press – N.Korea flew drone over sensitive border: S.Korea
Notícia da Associated Press – Iran says to unveil array of weapons next week
Notícia da Reuters – ANALYSIS-China, U.S. playing risky game on the high seas

Israel e Irão, 2011 a Data

Mais de 50% de hipótese que Israel ataque o Irão em 2011.

Um dantesco estudo em que é perguntado a mais de 40 analistas quais as possibilidades de um ataque de Israel ao Irão e quando: Julho de 2011, 50%.

Tem sido uma tendência que tem vindo a ganhar cada vez mais força na opinião dos analistas.

Sem querer estar a defender nenhum dos lados – se o Irão já tivesse feito 1% das coisas que Israel já fez, o que já lhe teria acontecido? Com que princípios Israel pode acusar quem quer que seja? O sofrimento passado não pode servir de justificação para o causar de sofrimento no presente, algo que Israel têm sido monstruosamente especialista.

Discorridas estas minhas ideias, que podem conduzir a uma opinião que estou a favor do Irão em relação a Israel, quando o verdadeiro sentido da minha defesa irá sempre cair a favor de quem menos perverso é, e Israel não consegue fugir desse desígnio.
O Irão é tudo menos uma ilha de princípios perfeitos, onde as mentes bélicas têm tanta força como em Israel e dominam os lugares de poder e onde irão ajudar a conduzir a caminhos perversos.

Que futuro nos deixarão estes perversos?
Espero sinceramente que o bom senso consiga prevalecer, mas… o bom senso não dá dinheiro e a perversidade é muitas das vezes bem paga…

P.S: Acima de tudo espero que os problemas económicos, que são mais que esperados que o mundo venha a atravessar, não venham a servir de rastilho para justificar uma guerra, mas atenção que as elites irão tentar defender o seu status quo a todo o custo…

Notícia da CBS – Jeffrey Goldberg: More than 50 Percent Chance Israel Would Strike Iran in 2011

A 3ª Guerra Mundial

A terceira Guerra Mundial já começou. Os líderes iranianos estão atrás da bomba, não há dúvidas em relação a isso. Rússia acusa os Estados Unidos de frouxidão no controlo de armamento.

Há uns meses li um excelente estudo de Konstantin Sivkov, Vice-Presidente da Academia Geopolítica russa, que diz que a 3ª Guerra Mundial já começou. Hoje acho ser uma boa oportunidade de enquadrar esse estudo com duas notícias do dia…

Algumas das suas palavras:

1) Conflitos entre o crescimento da produção/consumo e recursos disponíveis.
2) Conflitos entre países em desenvolvimento (pobres) e os países industrialmente desenvolvidos (ricos)
3) Conflitos entre o mercado livre e o poder do dinheiro (sem espírito) e as raízes religiosas de várias civilizações, incluindo Ortodoxas, Islamitas, Budistas e outras.

A análise de possíveis soluções para estes desequilíbrios e conflitos mostra que têm uma natureza antagónica, e que a crise não irá ser resolvida sem o ceder nos interesses de alguns assuntos geopolíticos importantes. Isto significa que o uso de forças militares é inevitável.(…)

Já existem duas coligações. A primeira é a aliança dos chamados países desenvolvidos representados pela sociedade ocidental. As fundações espirituais desta coligação baseiam-se no individualismo e nas posses materiais que geram poder e dinheiro. (…). A segunda coligação engloba os países de civilizações ortodoxas, islâmicas e outras civilizações que têm por base o espiritual sobre o material. (…)

A primeira etapa (3ª Guerra) a que podemos chamar «uma tentativa para resolver pacificamente as crises» está quase a chegar ao seu fim. As reuniões dos G20 não estão a apresentar os resultados desejados. As provocações de Imedi e Sanomat marcam o início da segunda etapa, que podemos chamar «o período que antecede o início da Guerra Mundial». Durante esta etapa as civilizações ocidentais começam a preparação de conflitos e guerras regionais por recursos.

O único factor que a está a restringir (Guerra Mundial) é o potencial nuclear da Rússia. De acordo com as previsões do cientista, o ocidente irá tentar desabilitar o escudo nuclear da Rússia.

A História mostra-nos que a elite “egoísta” não se detém pelos sacrifícios humanos quando existe a garantia que eles irão sobreviver em bunkers. As análises mostram que se acontecer uma nova guerra mundial que esta irá envolver grande parte da população mundial, todos os continentes e oceanos. Mais de 100 milhões de pessoas deverão participar nesta guerra. As percas de vidas humanas poderá exceder as várias centenas de milhões de pessoas.

in Pravda

Isto é algo impensável, poderá pensar o comum dos leitores… mas gostava de lembrar que isso também era impensável para o comum dos leitores em 1935, apenas anos antes do início da Segunda Guerra Mundial.
Sempre que as populações desvalorizam o poder maléfico e egoísta de algumas das elites essas mesmas elites costumam capitalizar isso em seu proveito, mesmo através de guerras… nunca menosprezar a perversidade latente de alguns sectores das sociedades, nunca!

Para além deste estudo, ficámos hoje a saber pelas palavras de um antigo espião americano no Irão que a Bomba está quase pronta (Atómica) e que ele não tem dúvidas que ela irá ser usada. Ele pede uma acção militar para eliminar esse risco…

E ainda, que a Rússia acusa os Estados Unidos de não ter cumprido os tratados de desarmamento nuclear assinados, e de ter mesmo aumentado a sua capacidade nuclear.

Deixemos eles fazer o que querem e depois pode vir a ser tarde demais para os Zés Povinhos do mundo vir a ter voz no assunto… nessa altura então poderá ser apenas um “a ver quem se salva”, enquanto as elites ficam nos seus bunkers a beber suminhos de maracujá…

Notícia do Pravda – World War III Has Already Begun
Notícia da Forbes – Ahmadinejad Drops A Bomb
Notícia da Reuters – Rússia acusa Estados Unidos por controle frouxo de armas

%d bloggers like this: