A Insaciedade Anti-social do Mundo FIAT

A Irlanda vai pagar juros de 5,8% pela ajuda de 85 mil milhões. Eurogrupo pede medidas concretas ao governo português. Portugal promete implementar reformas na saúde, transportes e mercado de trabalho. Ajuda externa pode não chegar para Portugal. Zapatero afirma que irá mexer nas leis do mercado de trabalho, nas pensões e na energia. Água nos privados fica mais cara mas é melhor.

O nosso mundo é um mundo FIAT (a sua terminologia exacta é moeda fiduciária)… não é a marca de automóveis, que por sinal também está a passar as passas do Algarve… é um mundo em que a dívida é o motor do crescimento económico.
Esta é uma frase que deixa muitos totalmente confusos, a qual não irei aprofundar porque senão não consigo acabar de escrever este texto. Serve para vocês indagarem o porquê de escrever tal “coisa”. Deixo só uma pista:
Quase 10% do PIB americano deste ano é resultado dos pacotes de estímulo à economia, e a economia americana só irá crescer (?), aproximadamente, 1,8%. Para onde terão ido os outros 8,2%?

Ficamos hoje a saber que a Irlanda vai receber 85 mil milhões de euros de ajuda(?)… acho que este valor irá aumentar significativamente nos próximos tempos… a uma taxa de juro de 5,8%!
Desculpem-me, mas uma taxa de juro de 5,8% não é ajuda! 5,8% é lucro acentuado de uma Europa que se intitula solidária com os seus parceiros mais frágeis!
5,8% é um valor superior ao que a Irlanda estava a pagar há três meses nos mercados!
Em jeito de conclusão desta ajuda (?)…
Todos os países da Europa que estão a ajudar a Irlanda irão ganhar $$$. A isto chamo a insaciedade social do nosso mundo FIAT, ou mais concretamente: “Eu ajudo-te mas quero lucrar (bastante) com a minha ajuda, porque sem lucro não ajudo.”

Continuando no mundo social da Europa, que é exactamente igual à lógica social praticada em todo o mundo ocidental, o Eurogrupo (Grupo dos países que usam o euro – moeda FIAT) exige que Portugal tome medidas no mercado de trabalho em desfavor dos privados assumirem parte das perdas de um país em caso de incumprimento.
O que quer dizer esta “coisa” dos «privados assumirem»?
Os privados é uma palavrinha muito jeitosa para nomear a banca que se alimenta da economia FIAT desse país.
Em jeito do conclusão:
O Eurogrupo apoia uma diminuição das políticas de defesa do trabalhador em vez de passar parte da carga de responsabilidade da vitalidade ou não das economias europeias para a banca. Ou seja, eles (banca) podem continuar a brincar aos casinos com o nosso dinheiro FIAT – que na sua essência já é todo deles.
Esta é apenas mais uma imagem da insaciedade social que grassa nesta selva FIAT.

A resposta do governo português ao chamamento do Euro(FIAT)grupo é consentânea com os seus pedidos em formato de exigências. Mas vai ainda mais longe… tão longe que para além das supracitadas alterações nas regras do mercado de trabalho, irá incorporar nessas medidas chamadas de desenvolvimento da economia FIAT – que é a economia da banca -, reformas na saúde e nos transportes.
Para um leigo, ou para os mais distraídos, reformas num mundo social FIAT significam:
Mercado de trabalho: Mais facilidade de despedimento, salários mais baixos e menos segurança social.
Saúde: Mais cara, menor capacidade de acesso e privatizações.
Transportes: Privatizações e consequente aumento exponencial dos preços.
Em jeito de conclusão:
Caso o Zé Povinho se continue a deixar envolver nesta trama de falsas verdades, até mentiras descaradas, do mundo social FIAT, irá continuar a ser o único a pagar os devaneios tresloucados e indecentes de uma classe política “bananeira” e os vícios insaciáveis de um sistema FIAT que é o alimento da banca.

Depois ficamos a saber que a ajuda prestada à Irlanda e à Grécia poderá não chegar para Portugal – Talvez não haja “pilim” suficiente.
Entretanto os nossos “bananas” irão continuar a aprovar medidas e soluções(?) para a economia FIAT que na sua raiz irão agravar ainda mais os problemas económicos do mundo FIAT deles, que por imposição também é o nosso.
Mesmo que esta notícia me cheire a informação “plantada”, pois quem ajuda lucra e lucra bem com a ajuda, nada melhor do que não retirar das hipóteses tal cenário, que por sinal, a meu ver, é melhor do que a ajuda, porque na sua génese está implícito que Portugal teria de sair do Eurogrupo e criar a sua moeda FIAT própria.
Em jeito de conclusão:
As “bananas” andam sempre a reboque dos “casineiros” e sua insaciadade social é a marca das suas falsas políticas sociais.

E para sabermos que as “bananas” são iguais em quase todo o lado, ficamos hoje a saber que o governo espanhol vai adoptar as mesmas medidas por lá… ou melhor, ficamos a saber que o sector das energias também é para privatizar.
Em jeito de conclusão:
O que nos espera, caso o Zé Povinho continue a se deixar envolver nesta trama de falsas verdades, é energia mais cara para pagar… a insaciadade social das economias FIAT.

E como um mal raramente vem só… neste caso já são quatro “males”… hoje saiu uma notícia no Jornal de Negócios que é uma verdadeira afronta à verdade.

“Água nas PPP fica mais cara mas é melhor”.

In Jornal de Negócios

Sempre que um serviço passa das mãos do Estado para os privados o preço e a qualidade tomam caminhos diametralmente opostos aos que tinham. Ou seja, o preço sobe e a qualidade do serviço diminui.
Poderão dizer que estou a escreve de cor… Meus senhores, em todos os países, sem excepção, em que as águas e a distribuição de energia passou para as mãos de privados a qualidade do serviço piorou significativamente acompanhado por um aumento monumental dos preços.
Caso continuem a achar isto que acabei de escrever pouco plausível, façam um favor a vós e vejam, só por exemplo, o que se passa em França, que é uma das economias mais desenvolvidas do mundo. Verifiquem quantos processos em tribunal existem contra as empresas de distribuição de água e energia por lá, e vejam se isso representa qualidade que justifique um aumento exponencial do preço do serviço prestado.

Em forma de conclusão:
A insaciedade social deste sistema FIAT é algo puramente monetária. Se houver dinheiro a ganhar, este sistema social FIAT irá dar a sua ajuda. Quando não existe dinheiro para ganhar, os pobres terão de ainda de ficar mais pobres, e se esperarem que o sistema os ajude… só mesmo tendo dinheiro, ou seja, não podem ser pobres. A pobreza não é equação que funcione neste sistema social FIAT depravado!
Se os pobres são párias num sistema social que está a criar cada vez mais párias, só existe um caminho para o futuro: “Sempre que alguém é excluído da sociedade isso conduz à revolta, seja revolta individual ou revolta colectiva”.

Notícia do Expresso – Irlanda pagará juros de 5,8% pela ajuda de €85 mil milhões
Notícia do Público – Eurogrupo pede “medidas concretas” ao Governo português
Notícia do Jornal de Negócios – Portugal promete implementar reformas na saúde, transportes e mercado de trabalho
Notícia do Diário Económico – Ajuda externa pode não chegar para Portugal
Notícia da Bloomberg – Zapatero Pledges to Change Spain’s Labor Rules, Pensions, Energy
Notícia do Jornal de Negócios – Água nas PPP fica mais cara mas é melhor

About minhamosca

Em busca de mais conhecimento

Posted on 29/11/2010, in Banca, Economia, Energias, Saúde and tagged , , , , , , , , , . Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: