Comer Para Encher Bolsos Em Vez de Bocas

Lóbis adiam medidas para melhorar condições de saúde e ambientais. Salmão transgénico com uma mão na caixa de Pandora.

Vivem-se tempos de grande ansiedade. Não, desta vez não é por causa da economia mundial e das injustiças sociais que se apregoam em nome da estabilidade. Desta vez é a saúde pública e o ambiente que se encontram uma vez mais na linha de fogo. Todos sabemos que as grandes empresas multinacionais detêm grande influência junto dos órgãos de decisão. As pressões, ou os chamados lóbis, que exercem sobre os decisores e os que deveriam, em última análise, zelar pela segurança alimentar, resultam invariavelmente numa degradação das condições de segurança em favor das contas bancárias das grandes empresas e dos seus accionistas.

Já todos conhecemos a história de como os gigantes do tabaco adiaram durante décadas a tomada de decisões que teriam poupado a vida a milhões de pessoas e a muitos mais milhões de dólares, libras e escudos por esse mundo fora. Os lugares que ocuparam junto dos decisores políticos valeram-lhes biliões em dividendos vendendo veneno misturado com tabaco, pagando campanhas eleitorais e espaço de publicidade nos meios de comunicação social, que enquanto o dinheiro se manteve a fluir, continuaram a debitar alegremente publicidade enganosa a milhões de pessoas por todo o mundo. Isto durante décadas a fio, repito.

Hoje o cenário é outro, mas o guião é o mesmo. Os grandes interesses agro-pecuários e empresas de genética pressionam e influenciam a tomada de decisões que protelam durante anos o melhoramento das condições de saúde e dos padrões de segurança na produção agrícola, em prejuízo claro para os consumidores e à custa da sua ignorância.

O problema de fundo é que hoje as organizações que se sobrepõem aos interesses do comum dos mortais já não se limita a pressionar e a influenciar, antes, faz parte da estrutura que gere e dirige todos os regulamentos e directivas agrícolas. Uma grande empresa dá-se ao luxo de gastar milhões em campanhas de publicidade e de lóbis para influenciar opiniões e comprar apoios. As verdadeiras organizações que existem para defender e melhorar as práticas agrícolas não podem jogar no mesmo campeonato uma vez que carecem dos fundos que o próprio sistema lhes deveria facultar para exercerem a sua função.

O mais recente exemplo, mas muitos outros há que mereceriam lugar de destaque, é a iminente aprovação da venda e produção de salmão transgénico nos Estados Unidos. Isto a acontecer será uma verdadeira tragédia para a agricultura, piscicultura e pecuária. Uma verdadeira caixa de Pandora.

A empresa envolvida em todo este processo é a AquaBounty Technologies, que incorporou um gene de um outro peixe que permite ao salmão manter as suas hormonas de crescimento activas durante todo o ano, levando-o a desenvolver-se muito mais rapidamente do que um salmão selvagem e a estar rapidamente pronto para venda e consumo. Além dos potenciais riscos para a saúde pública (existe  uma proteína normalmente existente no nosso organismo suspeita de envolvimento em alguns cancros e é bom recordar que nos Estados Unidos da América os alimentos transgénicos não são rotulados como tal – conveniente, não?), existe o risco de fuga de um destes peixes para a Natureza e a consequente contaminação das populações selvagens. Um só destes peixes que se reproduzisse bastava para, ao fim de algumas gerações, dizimar as populações autóctones, pois os híbridos iriam competir pelos recursos e atingir a maturação muito mais rapidamente. A empresa alega que tudo será feito em tanques afastados dos rios e do oceano, como se nós acreditássemos que os megalucros que esperam obter advenha exclusivamente da venda de peixe… cá para mim 95% dos lucros que a empresa teria seriam obtidos através da venda dos direitos de patente sobre um gene. Querem melhor galinha dos ovos de ouro? (vide o caso da Monsanto e das sementes transgénicas e pesticidas que vendem às toneladas todos os anos….) E depois? Também vão controlar todos os milhares de produtores que irão certamente comprar o produto na esperança do lucro fácil? Fácil é ver no que isto irá resultar. A seguir, virão os porcos, as vacas, as ovelhas, as galinhas… até eles quererem e o povo deixar.

Isto passa-se nos Estados Unidos, mas não nos iludamos… na Europa as leis começam a ser amaciadas e depois são introduzidas lenta e solenemente, pelos mesmos agentes e pressões que se verificam do outro lado do Atlântico. É a História que o prova e que o (h)omem teima em repetir.

Enquanto o Zé Povinho anda entretido a contar os tostões, a ganância e a ignorância não dormem, não se distraem e não se compadecem com o mal que espalham à sua volta.

Notícia no Público:Salmão transgénico no menu dos americanos pode estar para breve

Notícia News.com: “We can build whatever animal you want to eat, say scientists

Notícia no TheGuardian:Corporate lobbying is blocking food reforms, senior UN official warns

Posted on 07/10/2010, in Agricultura, Ambiente, Artigos, Corrupção. Bookmark the permalink. 1 Comentário.

  1. Obrigado Mestre Fragha por manteres o blog vivo. Ando numa roda-viva de 20 horas a seguir a 20 horas de trabalho non-stop. Espero ter isto controlado em breve.

    “É a História que o prova e que o (h)omem teima em repetir.”
    – Nada melhor que ver o brilhante documentário Future of Food de 2004, e fazer os paralelismos entre as sementes e os animais…

    http://www.thefutureoffood.com/onlinevideo.html

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: