Coisas de Leigo

IVA sobe 23% em 2011. Salários da função pública descem entre 3,5 e 10% acima dos 1.500 euros. Comunicado do governo aqui.

Existe uma frase proferida por uma política de renome na Europa que dizia mais ou menos o seguinte: “O Socialismo tem o grave problema de mais tarde ou mais cedo deixar de receber o dinheiro dos outros”.

Colocar-se-á a pergunta “E que tem isto a ver com as medidas hoje propostas pelo Governo?”. Bom, antes de mais, quero frisar que não sou obviamente economista, apenas um leigo observador do que se vai passando à minha volta. Ora bem, analisando isto um pouco à distância, por aquilo que me foi dado a ler, as medidas estão mais ou menos repartidas por todos os estratos da sociedade, no entanto, para tapar um buraco no défice de 2,5 mil milhões de euros, estão a contar com 900 milhões de euros vindos de um aumento de 2% no IVA, de 21 para 23. Um imposto cego e injusto, porque como todos bem sabemos, 23% para uma pessoa que ganha 450 euros mensais, não é o mesmo que 23% para uma pessoa que ganha 4.500. Além de ir certamente paralisar a economia do país, porque o consumo vai cair ainda mais levando a um consequente aumento do desemprego e das despesas sociais por parte do estado, estamos a falar de 900 milhões de euros este ano que serve para ajudar a tapar o buraco do défice e acalmar as dúvidas e receios daqueles que nos emprestam dinheiro. E aqui é que está o busílis de toda esta política de adiar o inevitável à custa de mais dívida. Para ilustrar o que quero dizer, dou a seguinte alegoria:

Um toxicodependente vai ao médico e pede-lhe ajuda para a sua maleita. E o médico o que faz é aconselhar-lhe o seguinte: “Vá roubar dinheiro aos seus pais, para eu lhe dar mais uma dose que isso passa”.

Ou seja, pedem-se mais esforços ao povo, tapa-se um buraco puxando a manta de um lado e destapando do outro, existe a possibilidade de os mercados nos voltarem a emprestar dinheiro para pagarmos dívidas anteriores e despesas corrente num país que não produz e que importa praticamente tudo o que consome, e a máquina despesista e chupista lá vai continuando bem oleada e dando uns rateres de quando em vez.

Chamo a isto “salvar o couro enquanto estou na arena”. Quem vier a seguir que feche a porta.

Notícia no Jornal de Negócios: Como tapar um buraco de 2.500 milhões de euros?

Notícia no Público: Governo reduz 5 por cento nos salários da função pública

Notícia no Expresso: Aumento do IVA e da contribuição para a Caixa Geral de Aposentações

Posted on 30/09/2010, in Artigos. Bookmark the permalink. 1 Comentário.

  1. A realidade e bem mais dura que o governo faz crer, efectivamente esse exemplo do drogado cai que nem uma luva a situação hoje vivida na economia nacional.

    Não esquecendo que o dito enfermeiro poderá também um dia ficar sem medicamentos para sustentar esse mesmo vicio que alimenta e que nada produz.

    Realmente quem vier a seguir que feche a porta e não só, pois talvez não chegue!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: