A Esquina

Juros da dívida Pública chegaram hoje aos 6,4%. Banqueiros, empresários e economistas já vêem o FMI em Portugal. É cada vez mais inevitável a entrada do FMI em Portugal. Euro em queda pressionado por dívida de Portugal e da Irlanda. Sócrates vais defender a dívida portuguesa nas Nações Unidas. FMI acredita que Portugal vai conseguir reduzir o défice. Confiança na banca nacional acima da média mundial.

Na continuação da saga da dívida portuguesa – Próximo do Fim das Ilusões e À Beirinha do Beiral -, hoje é novamente um dia em que os sinais negativos são mais que muitos…

Juros da dívida pública portuguesa a dez anos chegaram aos 6,4%.
Para quem anda distraído, na sexta-feira passada estavam a 5,973%. Não me recordo de um salto tão brusco de um dia para o outro no juro da dívida portuguesa, quase meio ponto percentual.
Quem estiver a pensar “foi apenas quase 0,5%“, é melhor relembrar que foi quase 0,5% em apenas um dia de mercado – os mercados encerram ao fim de semana. Agora pensem que todos os dias, num espaço de um mês, acontecia o mesmo. Até onde acham que iriam parar os juros de Portugal?
30X0,5%= 15% num mês… desta forma talvez se consiga perceber melhor o violento salto na taxa de juro…

E sabem qual poderá ser o ponto final, ou de viragem, ou de continuação do Estado?
O Orçamento de Estado…
Se o orçamento for brando demais os mercados irão castigar Portugal porque dificilmente irá conseguir atingir as metas estabelecidas para o défice…
Se for agressivo demais, os mercados irão castigar Portugal porque o Orçamento poderá colocar em causa a taxa de crescimento (receitas)…
Ou seja, ou o Orçamento é o orçamento mais perfeito alguma vez feito em Portugal de forma a que os mercados consigam achar que irá reduzir o défice e ao mesmo tempo estimular a economia, ou então talvez seja melhor emigrar para a Grécia porque pelo menos eles por lá já se estão a habituar às dores impostas pelo FMI e pela União Europeia…

E depois, banqueiros, economistas, empresários e Bagão Félix são as vozes que hoje se juntam ao cada vez maior coro que afirma que a entrada do FMI em Portugal é facto incontornável…
Como os juros de Portugal acabaram de ultrapassar a barreira psicológica dos 6%, mais concretamente 6,4%, a comparação com a Grécia é inevitável…
Um mês depois da Grécia passar a barreira psicológica dos 6% viu-se forçada a pedir ajuda à União europeia e ao FMI…
Penso que talvez desta vez dê para ir até aos 7%, até os mercados fecharem a torneira, mas mesmo isso parece facto palpável mesmo antes do fecho desta semana, por isso…

Bagão Félix diz que o primeiro-ministro é como o Rei Midas: todas as estatísticas em que toca “transforma o mau em bom”.

In Jornal de Negócios

Apenas o Primeiro- Ministro meus senhores? Quase todos os meios de informação em Portugal mais parecem a revista Maria com historinhas de “cra-cra-cra” e a informação realmente importante para o futuro mais próximo do Zé Povinho fica entrecortada entre estatísticas positivas – muitas por consubstanciar -, ou é colocada como uma disputa política entre os “bananas”, o que faz com que a verdadeira informação perca profundidade e relevo junto da opinião pública… ou seja, fazem o Zé Povinho mudar de canal ou ler a notícia em que um carro capotou por causa de uma borboleta e feriu dois coelhinhos que iam a passar junto à berma… realmente factos muito importantes…

E em semana de aprovação do Orçamento de Estado, nada melhor que saber que o nosso Primeiro-Ministro vai até às Nações Unidas tentar acalmar os mercados…
Será apenas uma coincidência temporal? Será que também as Nações Unidos terão de dar luz verde ao Orçamento de Estado antes deste ser levado a contas à Assembleia da República?
Uma coisa é certa, já são vezes e vozes a mais a debater o Orçamento de Estado de um país que se diz independente…

E para ajudar ao ramalhete, os mercados internacionais já estão a associar a dívida de Portugal à baixa do valor do euro.
O euro estava a valorizar-se até… os mercados tomarem noção do aumento dos juros para as dívidas públicas portuguesa e irlandesa…

E gostava de fechar este artigo com as notícias que os nossos meios de comunicação adoram dar lugar de parangona, para (digo eu) ir distraindo a mente do Zé de coisas mais sérias:

– FMI diz que está totalmente confiante que Portugal irá cumprir com a redução do défice e que não prevê a sua entrada em Portugal.

Antes eles confiantes que nós, mas a mim parece-me apenas um chupa-chupa para os mercados chuparem, de modo a tentar acalmar um pouquinho as ondas que se começam a levantar… Os próximos tempos nos dirão qual o nível de confiança do FMI…

– Os bancos portugueses têm reputação acima da média mundial.

Quando começamos a “descascar” esta informação compreendemos que os três maiores bancos privados nacionais estão todos abaixo da média mundial em termos de confiança, apenas a média altíssima da CGD faz com que a média nacional seja boa… e como foram usados apenas quatro bancos portugueses…
Nem sei se será melhor rir ou chorar… de neura jornalística…
Esta é uma daquelas notícias que é só título e que depois de sumo tem quase só inflexões ao título usado…
Esta notícia que está a fazer parangona hoje é uma verdadeira obra prima de como não fazer bom jornalismo. Ora vejamos:
CGD – 72,09
BCP – 59,42
BPI – 57,87
BES – 57,15
(Média mundial – 61,07)
Também questiono a posição relativa dos bancos nessa tabela pois acho que o BCP está excepcionalmente bem cotado quando comparado com quase todos os indicadores económicos que o castigam… mas… também quem sou eu para questionar tal coisa, não é verdade?

Este foi mais um passeio sobre a realidade e irrealidade do dia a dia de um país chamado Portugal que se diz independente, mas que cada vez mais está dependente da vontade de terceiros…

Notícia do Expresso – Juros da dívida pública fixam novo máximo histórico: 6,40%
Notícia do Público – Preparação do próximo Orçamento do Estado vai estar na mira dos mercados financeiros
Notícia do Jornal de Negócios – Empresários, banqueiros e economistas já vêem FMI na Portela
Notícia do Diário Económico – “É cada vez mais inevitável a entrada do FMI em Portugal”
Notícia do Diário Económico – Sócrates vai defender dívida portuguesa em Nova Iorque
Notícia do Jornal de Negócios – Euro em queda pressionado por dívida da Irlanda e Portugal
Notícia do OJE – FMI convicto de que Portugal vai reduzir défice para 3% em 2013
Notícia do Destak – Bancos portugueses têm níveis de reputação acima da média mundial

About minhamosca

Em busca de mais conhecimento

Posted on 20/09/2010, in Artigos, Banca, Corrupção, Economia and tagged , , , , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: