Pico do Petróleo, Créditos de Carbono e Crescimento Económico

Alarme para o Pico do Petróleo revelado por conversas institucionais secretas. Países pobres pagam exorbitâncias por consultadoria para projectos de redução de emissões de carbono. Pacotes de estímulo à economia fizeram crescer a economia americana até 4,5%.

Qualquer uma destas notícias que saiu hoje merecia uma análise individual, mas a falta de tempo hoje não dá para mais, além de que uma análise colectiva destes temas é algo que estava em falta na mOsca, porque nada no mundo é totalmente independente de outros factores e causas.

Pico do Petróleo.
Ficamos hoje a saber, contrariamente ao que as instituições públicas nos querem fazer crer, que a preocupação com o Pico do Petróleo é um tema que vai além das discussões académicas entre pseudo teoristas da desgraça.

David Mackay, conselheiro chefe da DECC (Departamento de Energia e Alterações Climáticas), pediu a vários responsáveis na indústria, como Richard Branson, conselhos de forma a ajudar na criação por parte do governo de um plano de contingência para enfrentar este problema.

Foi criado pela DECC um grupo de trabalho para analisar a questão do Pico do Petróleo – negado pela própria mas confirmado por documentos revelados – onde saíram as afirmações de que tinham de levar em conta as alterações climáticas e colocar mais ênfase na redução da procura e também que o Pico do Petróleo poderá aumentar a volatilidade dos mercados.

Primeiro daqui podemos retirar que o Pico do Petróleo não é um conceito descabido, antes uma real preocupação, que o secretismo e constantes negações da sua realidade mais não são do que uma prova da sua existência.
Para além disso, o mais importante é a noção exposta nas suas últimas palavras: “Volatilidade dos mercados“.
– O problema principal com a questão do Pico do Petróleo não é quando acontecerá, mas sim quando irão as nações produtoras começar a restringir as exportações depois de tomada a noção de que a matéria prima existente poderá deixar de ser suficiente para suprir a sua demanda interna.
Sabemos que essa é uma acção “normal” quando uma nação se vê a braços com uma possível escassez de um produto que exporta. A recente limitação das exportações de trigo na Rússia prova isso mesmo.
Até quando iremos ter um mercado de exportações sem constrangimentos estatais?

Créditos de carbono.
Para uma vez mais comprovar toda a boa essência das políticas da ONU para com o mundo e principalmente para com os países mais pobres, ficamos hoje a saber que as nações mais pobres têm de pagar rios de dinheiro para conseguir entrar para o mercado dos créditos de carbono criado e gerido pela ONU.
Uma vez mais cai-lhes a máscara e fica exposto que os seus interesses são “exactamente” os mesmo de qualquer outra instituição financeira: “Dá-me cá o guito que depois eu dou-te a minha mão”.

Pacotes de estímulo.
Ora bem… se a economia americana cresceu até 4,5 % neste último trimestre devido aos pacote de estímulo, quanto é que realmente teria crescido se não estivesse sustentada por esse colchão de ar, ou mais concretamente, por esse paliativo?
Ora bem… A economia dos Estados Unidos cresceu 1,4%… não é preciso ser um génio a matemática para facilmente notar que sem os paliativos a economia americana estaria em acentuada recessão… Como já foram aprovados novos paliativos este mês, podemos então esperar que mais do que 4,5% do valor de crescimento que os Estados Unidos irão reportar no próximo trimestre estarão “deitados” neste colchão económico de números “mentirosos”.
Durante quanto tempo mais irá a Reserva Federal americana ser a responsável directa pelos números do PIB, e quanto cada vez mais terá de injectar na economia para manter esses números?
Para quem acredita que isto é algo fazível desejo-lhes uns bons sonhos… para quem faz contas, isto é um beco sem saída, e quanto para mais tarde se enviar a correcção normal que os mercados estão a precisar fazer, maior irá ser a implosão.

Juntando os três temas, o que temos é uma imagem descaracterizada daquilo que devia ser uma economia vibrante e em crescimento. Aquilo que aqui vimos é que quase todos os principais temas económicos do momento são manipulados e jogados com cartas pouco correctas ou mesmo totalmente incorrectas. Aquilo que vemos é uma parte de um mundo “de  faz de conta” em que a realidade é cada vez mais varrida para debaixo do tapete, tentando adiar para mais tarde o ter de enfrentar a verdadeira solução para os problemas.
Quais as soluções?
Exigir transparência e seriedade de todos, principalmente daqueles que com medo de perder o lugar de protagonismo que ocupam (Elites) lutam com todas as suas forças para adiar até ao máximo a resolução destes problemas… não percebem é que quanto mais tempo passa mais palpável vai ficando a realidade para os Zé Povinhos do mundo e, como nos reza a História, sempre que uma população chega ao ponto do “já não dá mais”, eles são trucidados (elites) por culpa do apego a opções que apenas serviram para manter o seu  “status quo” em desfavor de resoluções para os problemas…

Notícia do The Guardian – Peak oil alarm revealed by secret official talks
Notícia do The Guardian – Poorer nations hit with ‘exorbitant’ consultancy fees for carbon offset projects
Notícia da CNBC – US Stimulus Boosted Growth by Up to 4.5%

About minhamosca

Em busca de mais conhecimento

Posted on 25/08/2010, in Ambiente, Corrupção, Economia and tagged , , , , , , , . Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: