A Bolha Imobiliária

Envelhecimento arrasa activos imobiliários. 60% do crédito concedido em Espanha é para o imobiliário.

Num mundo de bolhas cada vez mais pronunciadas eis que mais sinais nos chegam delas.

Num mundo ocidental que tem sustentado grande parte do seu crescimento no sector imobiliário, crescimento esse que é contabilizado no presente mas que na realidade é sustentado por divida que pode estender-se por décadas até conseguir ser totalmente saldada, os números são cada vez mais desequilibrados.

Isto dá azo a uma primeira pergunta:
“Que quantidade desse investimento não será na sua essência uma expropriação do futuro e não um investimento no presente?”
Crescer hoje com a riqueza do futuro não é só um investimento no presente é uma assunção que o futuro irá ser maior e melhor que o presente de forma a ser possível saldar a dívida e os juros que somam a essa dívida.

“Que quantidade do futuro dos nossos filhos estamos a gastar já hoje?”
O excesso de dívida é um problema actual mas que quem realmente terá de o pagar serão as gerações vindouras, principalmente a geração dos nossos filhos. O hipotecar do futuro deles gastando hoje parte da sua riqueza é algo perturbador e quase insano no seu egoísmo, um caminho que tem apenas uma saída: “O nosso presente será mais abundante do que o futuro dos nossos filhos”

Depois de escritos estes parágrafos é-nos dito que o envelhecimento vai arrasar os activos imobiliários.
Para quem anda mais distraído… Isto quer dizer que uma das formas de riqueza contabilizável na nossa sociedade actual são os bens imobiliários que os agregados familiares possuem, e que eles irão perder valor no futuro, o que nos diz que o que iremos passar aos nossos filhos será muito menos do que o que temos hoje – mas as dívidas continuarão lá (em muito casos).

Quando gastamos hoje a riqueza do amanhã e que essa riqueza irá perder valor, qual a lógica funcional de tal acção? Uma casa só vale aquilo que alguém estiver disposto a pagar por ela e se já estamos a gastar a riqueza do amanhã, como poderemos esperar que amanhã haja suficiente riqueza para reaver o valor intrínseco de um bem imobiliário, e que essa riqueza venha a ser parte da vida dos nossos filhos?

O hipotecar do amanhã num presente de valor futuro questionável é algo que está expresso no valor total de dívida concedida em Espanha, 60%, valor que não deve ser muito diferente em Portugal.
A assunção de que o futuro irá ser maior e melhor do que o presente que vivemos não é apenas algo subjectivo, é algo absolutamente duvidoso quando levamos em consideração que vivemos num mundo de recursos naturais em declínio e com cada vez mais população no planeta a competir por esses recursos cada vez mais escassos.

Muitas vezes os sonhos do presente do Homem tornam-se em pesadelos, e este sonho de riqueza às custas dos nossos filhos tem cada vez menos contornos de sonho…

Crash Course: Bubbles:

Notícia do Expresso – Envelhecimento arrasa ativos imobiliários
Notícia do Jornal de Negócios – Actividade imobiliária em Espanha totaliza 60% do crédito concedido

About minhamosca

Em busca de mais conhecimento

Posted on 09/08/2010, in Economia and tagged , , , , , . Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: