Os Dois Poderes Na Hungria

Hungria culpa o seu Banco Central pelos problemas que o país está a enfrentar.

Na continuação dos posts: Filhos (Bancos) Pedem Ajuda ao Pai (FMI), Hungria e FMI às Turras (E Reuters a Comer Parágrafos – VERGONHA!) e Hungria… Onde os Bancos Realmente Pelam (Que Inveja), chegam-nos mais uns desenvolvimentos que considero importantes.

Primeiro a confirmação de que a Comissão Europeia está a pensar avançar com um processo contra o governo húngaro por este ter baixado em 75% o ordenado do presidente do Banco Central húngaro.
É absolutamente vergonhosa a posição da Comissão Europeia pois demonstra para quem realmente trabalha e quem realmente defende. O salário de um banqueiro é algo de importância zero para resolver os problemas económicos e estruturais de um país, e a importância que a Comissão Europeia lhe dá é mesmo inexplicável dentro de uma formação democrática, acção só passível de ser analisada dentro de uma conduta de interesses paralelos menos claros…

Por seu lado, o Presidente húngaro está a pensar avançar com um processo crime contra o presidente do Banco Central húngaro, por este manter as taxas de juro em valores muito acima dos praticados pelos restantes países da Europa.
Mas quem manda na Hungria? O seu povo e os seus representantes eleitos, ou o presidente do seu Banco Central?
Em democracia nenhum poder se pode sobrepor ao poder do povo e dos seus eleitos, mas como podemos verificar no caso húngaro os Bancos Centrais de cada país são os reis e senhores — coitada da nossa chamada democracia…

Segundo, a noção de que a Comissão Europeia só aceitará retomar as negociações com a Hungria caso o FMI esteja presente.
“Jasus”, já questionei os poderes do Banco Central húngaro serem autónomos do país, agora pergunto: “Mas por que carga de água a Comissão Europeia só aceita negociar com a presença do FMI? Não é a União Europeia, da qual faz parte a Hungria, um organização independente?”
Pelos visto é uma organização dependente do FMI — mais um pontapé na nossa democracia…

A Hungria é realmente um caso único no panorama europeu, não cedendo aos interesses de terceiros e colocando os interesses do país em primeiro lugar.
É realmente importante de salientar que na Hungria quem actualmente mais está a pagar de impostos é a banca húngara, que sofreu aumentos substanciais – esta situação é um oásis nas políticas europeias.

Estará o governo húngaro errado? Quase de certeza que sim, porque no paradigma em que vivemos actualmente, onde os bancos e instituições financeiras são o verdadeiro poder, estar contra essa corja é o mesmo de estar errado…
Desejo é que muitos mais países tenham “cojones” para colocar o status quo dessa corja em causa… pelo menos haverá uma maior sensação de justiça para com o Zé Povinho…

Fecho com uma noção de um dos senhores da elite financeira húngara:

“Eles são do campo (novo governo húngaro), e isso é uma contraposição às refinadas sensibilidades da elite de Budapeste”

in The New York Times

Fantástico… as elites… e refinadas… fantástico… já sabemos quem são… e que lado defendem…

Notícia do The New York Times – Hungary Lays Blame for a Fiscal Crisis on Its Central Bank

About minhamosca

Em busca de mais conhecimento

Posted on 04/08/2010, in Banca, Corrupção, Economia and tagged , , , , . Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: