Wikileaks: À Falta de Jornalismo a Sério…

Revelações explosivas mostram a guerra pelos olhos de quem a combate. Fundador do Wikileaks diz: ” Eu adoro esmagar bastardos!”. Julian Assenge é procurado pela CIA.

No mar de secretismo que a demo-cracia ocidental navega a presença de alguém (alguns) com um verdadeiro espírito pró liberdade de informação é um achado. Julien Assenge é um jornalista australiano que fundou há 3 anos o Wikileaks, página na internet que se dedica à exposição dos segredos que os Estados e empresas desejam ver fora do escrutínio público. Se “quem nada teme nada tem a esconder”, porque serão os Estados cada vez mais arcas sagradas de segredos? Uma verdadeira democracia é aberta e não precisa de segredos, a nossa demo-cracia actual é um emaranhado de instituições que só existem para controlar e limitar o acesso a determinadas informações. Um verdadeiro estado de direito é um que não dá guarida ao secretismo injustificado e abusivo…

O mais surpreendente (digo eu) é, quase aposto, todos nós já sabermos que não existem guerras “limpas”, nem guerras justas, nem guerras honestas, que a guerra é apenas e só um matadouro de vidas humanas para defesa de interesses que estão encobertos pela cada vez maior manta do secretismo, e esta não era, não é, nem nunca virá a ser diferente de todas as outras guerras…

Há uns dias deparei-me com uma notícia de que a CIA andava a tentar “caçar” Julian Assenge. Na altura só a coloquei nas notícias do dia e não lhe dei muita relevância porque a CIA, e todas as instituições secretas, querem “caçar” todos os que ponham em causa os segredos obscuros que elas tanto querem preservar… sem esses segredos perdem o seu status quo e a sua forma de vida… digamos que são como os bancos, em que se não existisse dinheiro de papel quase deixariam de existir… são uns viciados na sua droga, o segredo… Hoje compreendi o porquê do “stress” da CIA em lhe por as mãos em cima…

Para além de tudo o que foi revelado, que durante as próximas semanas irá dar pano para mangas, acho que nesta altura o mais importante é mesmo “ouvir” algumas das palavras deste guardião da democracia e liberdade de expressão, Julian Assenge:

“Estes ficheiros são a descrição mais completa de uma guerra a serem publicados durante o seu decurso — noutras palavras, numa altura em que ainda têm a oportunidade de fazer algo de positivo.” (…) “Irão alterar a nossa perspectiva não apenas da guerra no Afeganistão, mas de todas as guerras modernas.” (…)

“Este material faz luz sobre a brutalidade e sordidez do dia a dia da guerra.” (…)

“Existe um crescendo para se terminar a guerra. Esta informação não fará isso por si só, mas irá alterar a vontade política de forma significativa.” (…)

“Identificámos casos que poderiam ser danosos para inocentes. Esses registos foram identificados e editados de acordo” (…) (Respondendo a se tinham exposto toda a informação)

“O secretismo tem a sua legitimidade, assim como a revelação tem o seu papel. Infelizmente, aqueles que cometem abusos contra a humanidade, ou contra a Lei, sabem que podem abusar do secretismo para esconder facilmente os seus abusos.” (…)

“Já fomos legalmente julgados em vários países. Vencemos em todos os casos. São os tribunais que decidem a Lei, não os Generais nem as corporações.” (…)

“Reformas só são implementadas quando as injustiças são expostas. Opormo-nos a um plano injusto antes de ser implementado é estancar a injustiça.(…)

“Os homens mais perigosos são aqueles que comandam as guerras. Precisam de ser parados. Se isso faz de mim um perigo aos seus olhos, então que venham eles.” (…)

“Só vivemos uma vez, por isso estamos obrigados a dar bom uso ao tempo que temos, e de fazer algo que tenha realmente significado e que nos satisfaça.” (…) (Respondendo ao facto de que poderia ter sido um magnata em Syllicon Valley, por causa de todas as suas apetências informáticas, e ter preferido criar o Wikileaks)

In Spiegel

Não são precisos muitos para ajudar a mudar o mundo, basta ter vontade… Obrigado Julian Assange e toda a equipa do Wikileaks, sem vós nós os Zés Povinhos do mundo seríamos um pouco mais “prisioneiros”…

Para fechar só uma dica em relação a um excelente documentário que explica de forma aprofundada a questão do secretismo, “Secrecy:

Link para todos os ficheiros expostos no Wikileaks ou na página criada para o efeito – Kabul War Diary

Notícia do Spiegel – WikiLeaks Founder Julian Assange on the ‘War Logs’
Notícia do Spiegel – Explosive Leaks Provide Image of War from Those Fighting It
Notícia do Belfast Telegraph – Wanted by the CIA: Wikileaks founder Julian Assange

P.S: Saíram dezenas de notícias sobre este tema e optei por colocar apenas as notícias do Spiegel porque são de todas as mais detalhadas e aprofundadas.

About minhamosca

Em busca de mais conhecimento

Posted on 26/07/2010, in Bélico, Corrupção and tagged , , , , , . Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: